GÊNERO, CORPO E SEXUALIDADE: um estudo antropológico sobre a troca de casais

Olivia VON DER WEID

Resumo


O artigo busca compreender a prática atual do 'swing' entre casais moradores da cidade do Rio de Janeiro. Procura-se levantar algumas questões fundamentais para se discutir a prática da troca de parceiros e sua relação com as representações de gênero e os ideais de conjugalidade em nossa sociedade. Ressaltam-se alguns pontos: a forma como se dá a iniciação no meio swinger, a condição de desviantes que estes casais parecem ocupar na sociedade, a maneira como constroem a noção de infidelidade, de que modo o corpo interfere no estabelecimento das relações, a contribuição que seus relacionamentos conjugais podem dar para a reflexão sobre novos e velhos modelos de conjugalidade. Para responder a essas questões foram analisadas dez entrevistas com casais adeptos da troca de parceiros. Também foi realizada observação em dezenove encontros semanais de casais praticantes de swing, que aconteceram entre os meses de setembro de 2003 e maio de 2004, em uma casa especializada na Zona Sul carioca. A partir de um estudo sobre a prática da troca de casais procuro compreender as mudanças e permanências nas representações de gênero e nos ideais de conjugalidade presentes na cultura contemporânea.

Texto completo:

PDF


Este periódico está indexado nas bases:
',