NUTRICÍDIO DA POPULAÇÃO NEGRA EM TEMPOS DE COVID-19

ANALISANDO OS IMPACTOS DO ENCONTRO DE CRISES NO BRASIL ATUAL

Autores

  • Nádja Silva Universidade Federal da Paraíba
  • Thayonara Santos Universidade Federal da Paraíba

Resumo

Para grande parte da população brasileira, o direito humano e constitucional da alimentação tem sido tolhido de forma vertiginosa nos últimos anos, sobretudo a partir do início do mandato de Jair Bolsonaro. A partir de uma abordagem sindêmica, compreendemos neste artigo as intersecções entre os marcadores sociais da diferença e as crises sociopolítica, econômica e sanitária, que se intensificaram a partir da Covid-19 na produção de vulnerabilidades. Objetivamos investigar como a extinção, desde 2019, de importantes políticas voltadas à segurança alimentar tem contribuído para o crescimento do nutricídio no país. Para tanto, utilizamos uma abordagem qualitativa, através de pesquisa bibliográfica e documental, examinando indicadores de saúde, notícias, vetos, medidas governamentais e políticas públicas relacionados à alimentação. Destarte, o nutrícidio é mais uma consequência das necropolíticas postas no Brasil atual, impactando fortemente a população negra, sobretudo aquela residente nas zonas rurais do Nordeste.

PALAVRAS-CHAVE:

Necropolítica. População Negra. Nutricídio. Antropologia da Saúde. Insegurança Alimentar e Nutricional.

Foto: Nádja Silva

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nádja Silva, Universidade Federal da Paraíba

Mestranda em Antropologia, Universidade Federal da Paraíba

Thayonara Santos, Universidade Federal da Paraíba

Mestranda em Sociologia, Universidade Federal da Paraíba

Foto: Nádja Silva

Downloads

Publicado

2022-12-05

Edição

Seção

DOSSIÊ ETNOGRAFIAS DE UMA SINDEMIA: A COVID-19 E SUAS INTERAÇÕES