IDENTIDADES DE GÊNERO MASCULINAS NA INFÂNCIA E AS REGULAÇÕES PRODUZIDAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • Bianca Salazar GUIZZO

Resumo

O principal objetivo deste artigo é investigar de que forma as crianças de uma escola pública de Educação Infantil (5-6 anos) da grande Porto Alegre entendem as questões de gênero presentes no seu cotidiano. Para tanto, exploro situações e falas emergidas no referido âmbito escolar, especialmente a partir de propagandas televisivas voltadas para este público. Busco também discutir e problematizar os modos como professoras, equipe diretiva, pais e mães lidam com tais questões, contribuindo para a constituição de masculinidades e feminilidades ainda na infância. Para a operacionalização das análises, tomo por base os conceitos de gênero, representação, discurso e identidades, a partir do referencial teórico-metodológico dos Estudos Culturais e dos Estudos Feministas, em especial das vertentes vinculadas à abordagem pósestruturalista. As análises realizadas permitem argumentar que meninos e meninas vêm sendo constituídos de maneiras bastante diversas. As crianças do sexo masculino são alvo de maior regulação para que, desde a infância, se adeqüem ao modelo hegemônico de masculinidade, havendo uma clara preocupação com a sexualidade destes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-06-20

Como Citar

GUIZZO, B. S. . IDENTIDADES DE GÊNERO MASCULINAS NA INFÂNCIA E AS REGULAÇÕES PRODUZIDAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, [S. l.], n. 6, 2007. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/artemis/article/view/2123. Acesso em: 4 ago. 2021.

Edição

Seção

Artigos