MÃE-SOGRA: SUA REPRESENTAÇÃO DO RELACIONAMENTO LÉSBICO

Autores

  • Lívia Gonsalves TOLEDO

Resumo

O relacionamento afetivo-sexual entre pessoas do mesmo sexo sempre existiu na história do ser humano. Já foi considerado pecado, sem-vergonhice, crime e doença, e, na atualidade, o modo de ver a relação homossexual ainda apresenta muito destas qualificações, advindo disto um grande preconceito, mesmo que para a psicologia esta seja considerada uma forma de orientação do desejo, assim como é a heterossexualidade e a bissexualidade. Este artigo visa apresentar a representação de uma mãe de lésbica em torno do relacionamento da filha com a “nora”, a partir de um estudo de caso. A análise foi feita a partir de uma entrevista com uma mãe, residente na cidade de Assis, interior de São Paulo, sociedade esta que apresenta, de acordo com estudos anteriores, um grau de homofobia considerável. Representação é entendida como algo do coletivo, simbolizado e dinâmico, construído a partir de um contexto histórico, elaborado em cada grupo de indivíduos e manifestado, junto com a elaboração pessoal de cada um, de uma determinada maneira. A partir disto, visa-se aprofundar como esta representação se dá quando o sujeito estigmatizador é alguém que se liga ao sujeito estigmatizado por laços de afeto.

Downloads

Publicado

2007-06-20

Como Citar

TOLEDO, L. G. MÃE-SOGRA: SUA REPRESENTAÇÃO DO RELACIONAMENTO LÉSBICO. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, [S. l.], n. 6, 2007. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/artemis/article/view/2128. Acesso em: 13 maio. 2021.

Edição

Seção

Artigos