Aspectos acadêmicos e profissionais sobre mulheres cientistas na Física e na Educação Física

Autores

  • Adla Betsaida Martins Teixeira
  • Marcel de Almeida Freitas

Resumo

O estudo presume que preconceitos e discriminações de gênero ainda atuam como obstáculos para o interesse e a ascensão de mulheres nas áreas de Física e de Educação Física, e a disparidade entre o percentual de alunas nos cursos de graduação e o percentual de mulheres com doutorado nessas áreas aponta para uma desigualdade entre os sexos. A pesquisa utiliza metodologia mista – quantitativa e qualitativa, enfatizando as relações de gênero enquanto fenômeno histórico e cultural imbricado nas relações micropolíticas das instituições de ensino, tal como questões de raça e de classe. Neste texto são abordados aspectos da fase quantitativa da investigação, como índices de produtividade acadêmica e percentuais de mulheres e de homens nos dois cursos da Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil. Verificou-se que a média da produção cientifica feminina é, em geral, com exceção de alguns itens, inferior à masculina nas duas áreas e, embora os homens sejam maioria já na graduação dos dois cursos, quando se analisa a composição por sexo do corpo docente dos mesmos, ou seja, profissionais com doutorado, o número de mulheres se reduz ainda mais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-21

Como Citar

BETSAIDA MARTINS TEIXEIRA, A.; DE ALMEIDA FREITAS, M. Aspectos acadêmicos e profissionais sobre mulheres cientistas na Física e na Educação Física. Revista Ártemis, [S. l.], v. 20, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/artemis/article/view/27045. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Mulheres, ciência e tecnologia