Os estudos feministas da ciência e da tecnologia no Brasil: reflexões sobre estilos e coletivos de pensamento

Autores

  • Carla Cabral

Resumo

Os Estudos Feministas da Ciência e da Tecnologia no Brasil constituem um campo que tem como uma de suas características a dispersão das publicações. Em um período de 30 anos, localizamos uma centena delas em mais de 50 programas de pós-graduação de 24 universidades públicas. Esse panorama nos mostra uma produção interdisciplinar: “educação em gênero, ciência e tecnologia” e “carreiras” e “trajetórias de pesquisadoras” se sobressaem como temáticas, configurando, entretanto, lacunas quanto a abordagens das relações étnicas e raciais. Segundo nossos estudos, há três momentos que marcam o campo dos estudos feministas da ciência e da tecnologia na direção do seu (re)conhecimento: a visibilidade no Seminário Internacional Fazendo Gênero; a implementação do Programa Mulher e Ciência; e a realização do VIII Congresso Ibero-Americano de Ciência, Tecnologia e Gênero. Estudamos o processo do conhecimento na produção de pós-graduação da UFBA, onde encontramos um coletivo fortemente marcado pelo estilo de pensamento em ensino de ciências e gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-21

Como Citar

CABRAL, C. Os estudos feministas da ciência e da tecnologia no Brasil: reflexões sobre estilos e coletivos de pensamento. Revista Ártemis, [S. l.], v. 20, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/artemis/article/view/27047. Acesso em: 21 mar. 2023.

Edição

Seção

Mulheres, ciência e tecnologia