Intersecção dos feminismos: análises sobre a agência da mulher nos processos de promoção da paz na Somália

  • Rafaela Julich Morais Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

A Somália tem sido considerada pela sociedade internacional ao longo dos anos um dos países mais perigosos do mundo e o quinto pior lugar para ser mulher. Em meio ao caos da guerra civil que dura há mais de duas décadas, as somalianas ainda assim demostram, através de seus envolvimentos nos processos de promoção da paz e reconstrução dos aparatos estatais, que são agentes para além de vítimas. Por conseguinte, é objetivo do presente artigo analisar a agência feminina na Somália sob a perspectiva de três abordagens feministas: os feminismos pós-coloniais, africanos e islâmicos. Estas abordagens são substanciais para se entender o contexto local, além dos avanços e entraves nos direitos das somalianas, que foram colonizadas no passado pelos impérios britânico e italiano, e hoje observam o aumento do extremismo religioso no país.

Biografia do Autor

Rafaela Julich Morais, Universidade Federal de Santa Catarina
Mestranda em Relações Internacionais pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina. Graduada em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Uberlândia. É pesquisadora do Centro de Pesquisas e Práticas Decoloniais e Pós-coloniais Aplicadas às Relações Internacionais e ao Direito Internacional (EIRENÈ), com estudos centrados no continente Africano, migrações e diásporas. Tem publicado e apresentado artigos sobre o refúgio no Sistema Internacional a partir de perspectivas críticas das Relações Internacionais.
Publicado
2019-07-11
Seção
Artigos