Um breve panorama do humor nos quadrinhos feministas suecos a partir da obra de Nina Hemmingsson, Malin Biller e Liv Stronquist

Autores

  • Natania Nogueira

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2018v26n1.42100

Resumo

A Suécia é um país que possui tradição tanto na produção quanto na participação das mulheres na cena dos quadrinhos. Mas, no início do século XXI estas mulheres passaram a ter um papel ainda maior graças a todo um contexto sócio-político que conduziu a Suécia a grandes mudanças. Foi importante nesse processo o movimento feminista e a disposição da sociedade em debater acerca da equidade de gênero. Os quadrinhos tiverem seu lugar nesse debate através de produções com um viés feminista, no qual o humor teve uma presença marcante. Para o presente artigo, utilizamos, como exemplo dessa produção, os quadrinhos de três autoras pertencentes a essa nova geração: Nina Hemmingsson, Malin Biller e Liv Strönquist. Por meio desses quadrinhos, notadamente satíricos, é possível notar a construção e descontração dos papéis de gênero assim como do próprio discurso feminista, que dá aos quadrinhos a qualidade de tecnologias de gênero. Palavras-chave: Suécia, Histórias em Quadrinhos, gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-21

Como Citar

NOGUEIRA, N. Um breve panorama do humor nos quadrinhos feministas suecos a partir da obra de Nina Hemmingsson, Malin Biller e Liv Stronquist. Revista Ártemis, [S. l.], v. 26, n. 1, p. 104–124, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.1807-8214.2018v26n1.42100. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/artemis/article/view/42100. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

O humor das mulheres e as mulheres no humor