ENSINO DA NORMA CULTA: POLÍTICAS DE SUBSTITUIÇÃO OU AMPLIAÇÃO DIALETAL?

  • Flauberte Correia Universidade do Estado da Bahia - UNEB
Palavras-chave: Língua Portuguesa. Variação. Norma Culta. Ensino.

Resumo

Neste artigo, apresentam-se os resultados de uma pesquisa realizada nos moldes da Sociolinguística Aplicada. Uma investigação que tentou descortinar se o ensino da norma culta em aulas de Língua Portuguesa em uma escola pública é pautado por políticas de substituição ou de ampliação das variedades linguísticas dos alunos. Para tanto, embasando-se nos pressupostos da Sociolinguística Educacional e em aspectos de metodologia do ensino de Língua Portuguesa como língua materna, analisa-se a prática de dois professores de Ensino Fundamental e a relação, nem sempre pacífica, entre as variedades dos alunos e a variedade culta da língua em sala de aula.

Biografia do Autor

Flauberte Correia, Universidade do Estado da Bahia - UNEB
Mestre em Estudo de Linguagens pela UNEB - Universidade do Estado da Bahia, Departamento de Ciências Humanas, Campus I, Salvador - BA; Especialista em Estudos Linguísticos pela UEFS - Universidade Estadual de Feira de Santana; Graduado em Letras Vernáculas pela UNEB, Campus XIV, Conceição do Coité - BA
Publicado
2017-01-20
Como Citar
Correia, F. (2017). ENSINO DA NORMA CULTA: POLÍTICAS DE SUBSTITUIÇÃO OU AMPLIAÇÃO DIALETAL?. DLCV - Língua, Linguística & Literatura, 11(2), 59-77. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/dclv/article/view/18589
Seção
Artigos