Linguagens documentais para as bibliotecas escolares: o caso da Espanha, Portugal e Brasil

  • María del Carmen Agustín-Lacruz Universidad de Zaragoza
  • Mariangela Spotti Lopes Fujita Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP
  • Ana Lúcia Silva Terra Universidade do Porto
Palavras-chave: Bibliotecas escolares, Indexação, Classificação, Organização da informação, Sistemas de classificação, Listas de Cabeçalhos de assuntoss, Tesauros, Espanha, Brasil, Portugal

Resumo

Este artigo analisa as características específicas e os processos de indexação e classificação realizados em bibliotecas escolares para tratar e recuperar as informações de suas coleções. Também se analisam as linguagens como ferramentas documentais específicas utilizadas em bibliotecas escolares portuguesas espanholas, portuguesas e brasileiras. Para atingir este objetivo, o modelo de biblioteca escolar é estudado de forma crítica, se analisa o conceito de biblioteca escolar de forma crítica, se estudam suas funções e se examinam as técnicas e os instrumentos que permitem organizar a informação. Entre outras ferramentas, estudam-se listas de cabeçalhos de assuntos como os Cabeçalhos de assuntos para livros infantis e juvenis e a Lista de Cabeçalhos de assuntos para as bibliotecas; sistemas de classificação, como a Classificação Decimal Universal (edição de bolso) ou a classificação por centros de interesse e tesauros especializados como o Tesauro da Educação UNESCO-OIE e o Tesauro Europeu da Educação, entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

María del Carmen Agustín-Lacruz, Universidad de Zaragoza
Doutora em Filosofía e Letras pela Universidade de Zaragoza, Espanha. Professora Titular do Departamento de Ciências da Documentação e Historia da Ciência da Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Zaragoza, Espanha.
Mariangela Spotti Lopes Fujita, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP
Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo, Brasil. Professora Titular em Leitura Documentária e Indexação na Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Campus de Marília, Brasil.
Ana Lúcia Silva Terra, Universidade do Porto
Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Coimbra, Portugal. Professora Adjunta na Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão do Instituto Politécnico do Porto, Portugal.
Publicado
2014-08-19
Como Citar
Agustín-Lacruz, M. del C., Fujita, M. S. L., & Terra, A. L. S. (2014). Linguagens documentais para as bibliotecas escolares: o caso da Espanha, Portugal e Brasil. Informação & Sociedade: Estudos, 24(3). Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/ies/article/view/20256
Seção
Relatos de Pesquisa