Reconstrução de memórias da Ditadura Militar: o uso de documentos de arquivos na filmografia brasileira

Resumo

Os documentos de arquivo vêm sendo cada vez mais utilizados em filmes. Esse uso pode ser justificado pelos valores de prova e de testemunho dos documentos aos quais pode ser acrescentada a sua capacidade de emocionar e de oferecer às pessoas um sentimento de identidade, de pertencimento e de memória. Utilizados nos filmes que abordam de diversas maneiras a ditadura militar brasileira, os documentos de arquivo acrescentam à narrativa sua capacidade artística, a prova e a emoção presentes nos arquivos, além de seu caráter histórico e informativo, de maneira a estimular nos espectadores a retomada de memórias sobre a época da repressão. A pesquisa analisa a filmografia brasileira entre 1985 e 2014 que utilizou documentos de arquivo. O recorte temporal permite o estudo a partir do momento da redemocratização até dois anos após a promulgação da Lei de Acesso à Informação e da Lei que criou a Comissão Nacional da Verdade. Os procedimentos metodológicos consistiram na coleta de dados sobre os filmes em um formulário de análise fílmica e da aplicação de questionário aos diretores dos filmes selecionados. Conclui que, no período analisado, houve um aumento do uso de documentos de arquivo tanto em documentários como em ficções. Observa que esse recurso permite a reconstrução de memórias até então desconhecidas, silenciadas e marginalizadas frente a memória dos grupos dominantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Augusto Mendes Rosa, Universidade de Brasília
Mestrando em Ciência da informação pela Universidae de Brasília. Graduado em Arquivologia pela Universidade de Brasília (2010). Possui experiência em organização de arquivos, nas temáticas de classificação, avaliação e descrição de documentos físicos e digitais, incluindo documento iconográficos. Tem interesse em pesquisas relacionadas a acervos audiovisuais. Atualmente, é Arquivista da Universidade de Brasília onde integra a equipe da Coordenação de Arquivo Permanente.
Georgete Medleg Rodrigues, Universidade de Brasília

Doutora em História pelo Université Paris-Sorbonne, França(1998). Docente do Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília.

Miriam Paula Manini, Universidade de Brasília
Doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo, Brasil(2002). Docente do Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília.
Publicado
2019-12-28
Como Citar
Rosa, R. A. M., Rodrigues, G. M., & Manini, M. P. (2019). Reconstrução de memórias da Ditadura Militar: o uso de documentos de arquivos na filmografia brasileira. Informação & Sociedade: Estudos, 29(4), 209-224. https://doi.org/10.22478/ufpb.1809-4783.2019v29n4.44310
Seção
Relatos de Pesquisa