Democracia documentária e Teoria da Não-conceitualidade: filosofia e práxis

Resumo

O objetivo desta pesquisa é discutir a construção das possibilidades de problematizar a teoria da não-conceitualidade na
Ciência da Informação no âmbito da organização do conhecimento, com vistas a desenvolver uma abordagem políticocrítica
da democracia documentária. Por meio da abordagem metodológica da filosofia da linguagem ordinária, a pesquisa
integra a logologia de Bárbara Cassin, a teoria política de Maria Nélida González de Gómez e a teoria do conceito de Emanuele
Tesauro. Os resultados colocam em diálogo a organização ordinária dos saberes socialmente oprimidos e a Constituição
brasileira, estabelecendo a práxis documental como forma de luta e resistência na sociedade democrática.

Palavras-chave: Democracia documentária. Teoria da não conceitualidade. Organização ordinária dos saberes socialmente
oprimidos. Teoria do conceit. Logologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gustavo Saldanha, IBICT

Pesquisador titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Brasil Professor Adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Bolsista de Produtividade CNPq. Bolsista Jovem Cientista do Estado FAPERJ.

Publicado
2021-01-18
Como Citar
Saldanha, G. (2021). Democracia documentária e Teoria da Não-conceitualidade: filosofia e práxis. Informação & Sociedade: Estudos, 30(4), 1-20. https://doi.org/10.22478/ufpb.1809-4783.2020v30n4.57260
Seção
Relatos de Pesquisa