A GED NO TCE-PB: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE SEUS USUÁRIOS

Autores

  • Maria das Graças Gonçalves Vieira Guerra Universidade Federal de Paraíba - UFPB http://orcid.org/0000-0002-6943-0338
  • Ingrid Biermann de Azevedo Costa Tribunal de Contas do Estado da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.23179/g&a.v5i2.31350

Palavras-chave:

Representações Sociais. Conhecimento. Informação. TCE-PB.

Resumo

Apreender as representações sociais dos funcionários do TCE-PB a respeito da GED, traçando-se o perfil dos usuários e reconstruindo-se o processo de implantação. A abordagem utilizada foi qualiquantitativa, com a utilização da teoria das representações sociais e o método do discurso do sujeito coletivo. Utilizaram-se como procedimentos técnicos a pesquisa bibliográfica documental e a pesquisa de campo. Os dados foram coletados através da aplicação de questionários mistos enviados por e-mail ou entregues em mãos aos funcionários do TCE-PB lotados nos Departamentos de Auditoria da Gestão Municipal I e II. O estudo apontou que o GED melhorou as execuções cotidianas das tarefas e rotinas de trabalho, exigiu menos tempo e esforço para o cumprimento das metas e que os usuários encontram-se satisfeitos com as atuais condições de trabalho. Trouxe ainda evidências negativas que precisam ser melhoradas, como insatisfação com a velocidade da rede e com a funcionalidade e fomento de informações do SAGRES, assim como a possibilidade de que as atuais condições de trabalho possam afetar a saúde.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria das Graças Gonçalves Vieira Guerra, Universidade Federal de Paraíba - UFPB

Possui Doutorado em Educação (UFPB-2007), Mestrado em Administração (UFPB-2003), Especialização em EaD (UNIGRAN-EaD-2010), Bacharelado em Ciências Contábeis (UFPB-2000) e Licenciatura em Pedagogia (UNIGRAN-EaD-2012). Atualmente é Professora Associada I da Universidade Federal da Paraíba, Coordenadora Pró-tempore de Pedagogia EaD, Professora Pesquisadora I da Universidade Aberta do Brasil - UAB/UFPB, Professora do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas, Gestão e Avaliação da Educação Superior da UFPB, Professora do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes da UFPB. Foi Professora da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2009-2015). É Consultora ad doc - Avaliação de Cursos Superiores na Área de Ciências Contábeis, Administração e Pedagogia (SINAES/INEP/MEC). Prestou Consultoria para a UNESCO/MEC, na área de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Tem experiência na área de Pedagogia, Educação a Distância, Avaliação do Ensino Superior, Administração e Contabilidade, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação do ensino superior, gestão, pedagogia e educação a distância.

Ingrid Biermann de Azevedo Costa, Tribunal de Contas do Estado da Paraíba

Mestre em Gestão em Organizações Aprendentes (UFPB) e servidora do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba.

Referências

AIRES, José Rover. Definindo o termo processo eletrônico. Disponível em: <http://www.infojur.ufsc.br/aires/arquivos/conceitoprocessoeletronico.pdf.> Acesso em: 01 de maio 2013.

ALAVI, Maryam; LEIDNER, Dorothy E. Review: knowledge management and knowledge management systems: conceptual foundations and research issues. MIS Quarterly, v. 25, n.1, p. 107-136, mar. 2001.

ANGELONI, M. T. (Org.). Organizações do conhecimento: infraestrutura, pessoas e tecnologias. São Paulo: Saraiva, 2002.

ASSMANN, H. Redes Digitais e Metamorfose do Aprender. Petrópolis: Vozes, 2005.

AVENDON, Don M. GED de A a Z: tudo sobre gerenciamento eletrônico de documentos. São Paulo: CENADEM, 2002.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Organização do texto: Juarez de Oliveira. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990. 168 p. (Série Legislação Brasileira).

______. Plano Estratégico do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba. São Paulo: Saraiva, 2010-2014.

______. CONAMA nº 001, de 23 de janeiro de 1986. (Resolução).

______. Padrões Web em Governo Eletrônico: Cartilha de Usabilidade. Brasília: MP, SLTI, 2010. 50 p.

CHIZZOTTI A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez; 1991.

CHOO, Chun Wei. A Organização do Conhecimento: Como as organizações usam as informações para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões; tradução Eliana Rocha. 2.ed., São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2006.

DAVENPORT, Thomas; PRUSAK, Laurence. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

DAVIS, F.D. A technology acceptance model for empirically testing new end-user information systems: theory and results. Doctoral dissertation. Sloan School of Management. December 1985.

______. Perceived usefulness, perceived ease of use, and user acceptance of information technology. MIS Quarterly, v. 13, Iss. 3, September 1989, p. 319-340

DEMO, P. Metodologia científica em ciências sociais. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1989.

Dodgson. Organizational learning: A review of some literatures. Dodgson Organization Studies, 1993, p. 375–394.

DRUCKER, P. F. Post Capitalist Society. Nova York: Harper-Collins, 1993, p. 45.

Disponível em: <http://www.uic.edu/htbin/cgiwrap/bin/ojs/index.php/fm/article/viewArticle/3062/2600>. Acesso em 02 de maio 2013.

INNARELLI, Humberto Celeste. Preservação digital e seus Dez Mandamentos. In: SANTOS, Vanderlei Batista dos; INNARELLI, Humberto Celeste; SOUZA, Renato Tarciso Barbosa de. Arquivística: temas contemporâneos: classificação, preservação, gestão do conhecimento. Brasília: SENAC, 2007. p. 20-75.

JODELET, Denise. Represéntation sociale: phénomèmes, concept et theorie. In: Psychologie sociale. Pais: PUF, 1990.

JONES, William In: No knowledge but through information. First Monday, v. 15, n. 9- 6 September 2010.

KOCH, Walter W. Gerenciamento eletrônico de documentos: conceitos, tecnologias e considerações gerais. São Paulo: CENADEM, 1997. 147 p.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. D. A. Fundamentos de metodologia científica. 3ª. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

LEFEVRE, Fernando; LEFEVRE, AnaMaria. Pesquisa de Representação Social: um enfoque qualiquantitativo. Brasília: Liber Livro Editora, 2 ed. 2012. 224 p.

______. Depoimentos e Discursos: uma proposta de análise em pesquisa social. Brasília: Liber Livro Editora, 2005. 97 p.

MACHADO, Paulo Afonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro. São Paulo: Malheiros editores, 1991.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1996.

MERRIAM, S. B. Qualitative research and case study applications in education. São

Francisco (CA): Jossey-Bass, 1998.

MOSCOVICI, Serge. Representações Sociais: Investigações em Psicologia Social. Trad. Pedrinho A. Guareschi. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2009. 404p.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997. 13º Reimpressão.

Pantoja, M. J., Borges-Andrade, J. E. Contribuições teóricas e metodológicas da abordagem multinível para o estudo da aprendizagem e sua transferência nas organizações. Revista de Administração Contemporânea, 8(4), 2004, 115-138.

RAMPAZZO, L. Metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

RONDINELLI, Rosely Curi. Gerenciamento arquivístico de documentos eletrônicos: uma abordagem teórica da diplomática arquivística contemporânea. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2002.

SENGE, Peter M. A Quinta Disciplina: Arte e prática da organização que aprende. São Paulo: CENADEM, 2002. 200 p.

SHAFFER, David W.; SERLIN, Ronald C. What good are statistics that don’t generalize? Educational Researcher, vol. 33, nº 9, 2004, pp. 14-25.

TURATO, E. R. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa. Petrópolis RJ: Editora Vozes, 2003.

Downloads

Publicado

2016-12-31

Edição

Seção

Relatos de Pesquisa