MENSURAÇÃO DO ENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR EM RELAÇÃO AS FINTECHS

Autores

Resumo

As inovações provocadas pela tecnologia da informação e inseridas no mercado por intermédio das Fintechs promovem a evolução digital que reconfigura o segmento bancário, sobretudo, em aplicativos e plataformas digitais que afetam o envolvimento e a relação com os consumidores. Objetiva mensurar o envolvimento do consumidor em relação às Fintechs, por meio do modelo proposto por Muncy e Hunt (1984). A rigor, foi possível traçar o perfil social e econômico dos respondentes, além de confirmar a importância dos constructos significativos para a formação do envolvimento do consumidor em relação às FinTechs. A pesquisa evidenciou que em sua maioria os usuários são otimistas e as afirmações em todos os tipos de envolvimento abordados no modelo de Muncy e Hunt (1984) indicam tendência positiva que denota alto grau de envolvimento dos consumidores em relação às FinTechs. Conclui-se ainda que houve maior envolvimento com as Fintechs de pagamento, intermediação sem dinheiro em espécie, que é realizada através de dispositivos portáteis, tendência expressa por 71,2% dos respondentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Cearenço Lima, Universidade FUMEC

Mestre em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento pela Universidade FUMEC. Bacharel em Administração pela Pontificia Universidade Católica de Minas Gerais.

Fábio Corrêa, Universidade FUMEC

Doutor e Mestre em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento pela Universidade FUMEC.

Fabricio Ziviani, Universidade FUMEC, UEMG e Fundação Dom Cabral

Professor do Programa de Pós-graduação em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento da Universidade FUMEC, da Universidade do Estado de Minas Gerais e da Fundação Dom Cabral. Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro. Bacharel em Administração pelo Centro Universitário do Espírito Santo.

Renata de Souza França

Doutoranda em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento pela Universidade FUMEC. Mestra em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento  pela Universidade FUMEC. Bacharel em Sistemas de Informação pela PUC-Minas.

Referências

ALFINITO, S.; NEPOMUCENO, M.V.; TORRES, C.V. (2012). Avanços no desenvolvimento da escala de julgamento e significado do produto para o Brasil. Revista de Marketing Brasileira, 11(2), 152-177. Doi:10.5585/remark.v11i2.2279

BALDIN, N.; MUNHOZ, E. M. B. Educação ambiental comunitária: uma experiência com a técnica de pesquisa snowball (bola de neve). Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 27, 2011, p. 46-60.

BOLLEN, K. A. A new incremental fit index for general structural equation models. Sociological Methods & Research, v. 17, n. 3, 1989, p. 303-316.

CAHILL, R. Money & Change: How FinTech startups and alternative banking companies are redefining finance through design, Digital Iteraction Design, University of Dundee, Dundee, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2T4t0dD. Acesso em: 03, nov. 2017.

CHIN, W. W. T partial least squares approach to structural equation modeling. In: MARCOULIDES, G. A. Modern methods for business research, New York, 1998, p. 295-336.

CHUEN, D. L. K.; TEO, E. G. S. Emergence of FinTech and the LASIC principles. The Journal of Financial Perspectives, v. 3, n. 3, 2015.

COSTA, Luis; PEREIRA, Carla; SOUSA, Cristovão. Apoio à Negociação Conceptual com Base em Processo Híbridos de Avaliação de Similaridade Semântica. 13ª Conferência da Associação Portuguesa de Sistemas de Informação, Évora 2013. Doi:http://dx.doi.org/10.18803/capsi.v13.117-128

DAPP, T. F. Fintech The digital (r) evolution in the financial sector. Frankfurt, Deutsche Bank Research, 2014. Disponível em: https://bit.ly/2tERf3T. Acesso em 04. Set. 2018.

FORNELL, C. e LARCKER, D. F. Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of marketing research, 1981, p. 39-50.

GIBSON, J. The impact FinTech is having on the financial services industry in Ireland. 2017. 165f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Dublin Business School, Irlanda, 2017.

GULAMHUSEINWALA, I; BULL, T; LEWISS. FinTech is gaining traction and young, high-income users are the early adopters, Journal of Financial Perspectives: FinTech. v.3, n.3, 2015, p.16-23,

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HENSELER, J.; RINGLE, C. M.; SINKOVICS, R. R. The use of

partial least squares path modeling in international marketing. Advances in International Marketing, v. 20, n. 1, 2009, p. 277-319.

HOYLE, R. H; DUVALL, J. L. Determining the number of factors in exploratory and confirmatory factor analysis. In KAPLAN, D. (ed.): The Sage hand book of quantitative methodology for the social sciences. Thousand Oaks, CA: Sage. 2004, p. 301-315.

JAIN, Kapil, SRINIVASAN, Narasimhan. An empirical assessment of multiple operationalizations of involvement. In: GOLDBERG, M., GORN, G., POLLAY, R. (ed.). 14 15 Advances in consumer research. Provo, UT : Association for Consumer Research, 1990. v. 17, p. 594-602.

KANTOX. “Fintech” definition, KantoxGlossary, 2016. Disponível em: http://kantox.com/en/glossary/fintech. Acesso em 20 jul. 2018.

MCAULEY, D. What is FinTech? 2015. Disponível em: https://bit.ly/2SdilIZ Acesso em 20 jan. 2018.

MICU, I.; MICU, A. Financial technology (FinTech) and its implementation on the romanian non-banking capital market. Pratical Applications Science, Bucareste, v. 4, n. 2, 2016, p. 379-384.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de Métodos de Estatística Multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: UFMG. 2007.

MORESI, E. A. D. (Org). Manual de Metodologia da Pesquisa. Universidade Católica de Brasília: Distrito Federal, 2003.

MOTA, K. R. R. Envolvimento do consumidor com produtos e serviços bancários. 2016. 165f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade FUMEC, Belo Horizonte, 2016.

MUNCY, J. A; HUNT, S. D. Consumer involvement defitional issues and research directions. Advances in consumer research. v.11 p.193-196, 1984. Disponivel em: http://acrwebsite.org/volumes/6241/volumes/v11/NA-11 Acesso em: 10 abr. 2018.

NORTHRUP, J.; HANGEN, E.; SWACK, M. CDFIs and online business lending: a review of recent progess challenges, and opportunities. The Carsey School of Public Policy, New Hampshire, 2016.Disponível em: https://bit.ly/2U1jpkS. Acesso em: 17 mar. 2018.

NUNNALY, J. et al., Psychometric Theory. McGraw-Hill: New York. 1994.

Radar FinTechFinelab, 2016.Disponível em: https://bit.ly/2ctJyVL. Acesso 21 jan. 2018.

Radar FinTechFinelab, 2017.Disponível em: https://bit.ly/2NfXWSV. Acesso 21 jan. 2018.

Radar FinTechFinelab, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2BiCvOO. Acesso 21 jan. 2018.

RODRIGUES, Maximiliano Camargo. Desenvolvimento de um modelo de implantação de serviço de correspondente bancário. (dissertação de mestrado), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/118866 Acesso em: 20 jan. 2018.

HOFF, L. O Marketing e o Comportamento do Consumidor. Comunidade Adm. 2005 Disponível em: https://bit.ly/2IAKGJY. Acesso em: 02 abr. 2017.

ROTHSCHILD, M. L. Adversing Strategies for High and Low Involvement Situations. In: Maloney, J.C.;Silverman, B.(eds), Attitude Research Plays for High Stakes. 1979, p74-93

SHERIF, M,; CANTRIL, H. The psychology of ego involvements. New York, 1947.

TENENHAUS, M. et al. PLS path modeling. Computational Statistics & Data Analysis, v. 48, n. 1, 2005, p. 159-205.

TUCCI, C. L.; GAUTSCHI, H.; VISCUSI, G. Switzerland’s digital furniture: facts challenges recommendations. EPFL – College of Management of Technology, Lausanne, Suíça, 2016. Disponível em: https://www.six-group.com/dam/downloads/epfl-study-switzerland-digital-future.pdf. Acesso em: 16 mar. 2017.

VERGARA, S. C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. São Paulo-SP: Editora Atlas S.A. 2014.

WEN, C. FinTech Acceptance Research in Finland - Case Company Plastc. 2016. 79f. Dissertação (Mestrado em Ciências Econômicas e Administração de Negócios) – Aalto University School of Business, Finlândia, 2016.

ZAICHKOWSKY, Judith L. Conceptualizing Involvement. Journal of Advertising, 1986 doi:10.1080/00913367.1986.10672999

ZAICHKOWSKY, Judith L. The Personal Involvement Inventory: Reduction, Revision, and Application to Advertising. JournalofAdvertising 1994. doi: 10.1080/00913367.1943.10673459

Downloads

Publicado

2019-07-01

Edição

Seção

Artigos de Revisão