A CIDADE BIOPOLÍTICA: DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA, POPULAÇÃO E HOMO OECONOMICUS

  • João Roberto Barros II UNILA - Univ. Federal da Integração Latinoamericana
Palavras-chave: cidade, homo oeconomicus, neoliberalismo, biopolítica, Michel Foucault

Resumo

A cidade teve uma importância econômica crescente durante o desenvolvimento do capitalismo. O objetivo do presente texto é argumentar que o espaço urbano é um foco de análise privilegiado em algumas obras de Michel Foucault. Os pontos a serem abordados são 1) os dispositivos de segurança como tecnologias de governo das condutas, 2) a população como alvo desses dispositivos e 3) a conduta dos cidadãos que é pautada cada vez mais por critérios econômicos, configurando o homo oeconomicus.

Biografia do Autor

João Roberto Barros II, UNILA - Univ. Federal da Integração Latinoamericana
Prof. Filosofia UNILADoutor em FilosofiaDoutorando em Ciências Sociais pela UBA - AR Projeto de pesquisa atual:Ontologia do presente em Michel Foucault 

Referências

DIMENSTEIN, Magda; ALVERGA, Alex Reinecke de. Alteridade e produção de territórios existenciais. In: ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de; VEIGA-NETO, Alfredo; SOUZA FILHO, Alípio (Orgs.). Cartografias de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2011, p. 225-240.

FONSECA, Márcio Alves da. Entre a vida governada e o governo de si. In: ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de; VEIGA-NETO, Alfredo; SOUZA FILHO, Alípio (Orgs.). Cartografias de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2011, p. 241-251.

FOUCAULT, Michel. A política da saúde no século XVIII. In: Microfísica do poder - 26. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979, p. 193-208.

______. Dits et écrits II. Paris: Gallimard, 2001.

______. El nacimiento de la biopolítica. Curso en el Collège de France 1978-1979. Trad. de Horacio Pons. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2012.

______. “Il faut défendre la société”. Cours au Collège de France – 1976. Paris : Gallimard, 1997.

______. Histoire de la sexualité I – La volonté de savoir. Paris : Gallimard, 1984.

______. Los anormales. Curso en el Collège de France 1974-1975. Trad. de Horacio Pons. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2008.

______. O nascimento do hospital. In: Microfísica do poder - 26. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979, p. 99-111.

______. Sécurité, Territoire, Population. Cours au Collège de France – 1977-1978. Paris : Gallimard, 1997.

______. Seguridad, Territorio, Población. Curso en el Collège de France 1977-1978. Trad. de Horacio Pons. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2007.

GADELHA, Sylvio. Biopolítica, governamentalidade e educação. Introdução e conexões a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

GRINBERG, Silvia. La conjetura del ADN. Vital politics y conducción de la conducta en la educación de nuestros tiempos. In: Cuadernos de trabajo # 1. Biopolítica – Gubernamentalidad, educación, seguridad. Buenos Aires: UNIPE, 2011, p. 13-24.

LAZZARATO, Maurizio. Biopolítica/Bioeconomia. In: PASSOS, Izabel C. Friche (Org.). Poder, normalização e violência. Belo Horizonte: Autêntica, 2013, p. 41-52.

ROSE, Nikolas. The Politics of Life Itself. Biomedicine, power and subjectivity in the Twenty-First century. Woodstock: Princeton University Press, 2007.

VEIGA-NETO, Alfredo. Por que governar a infância? In: RESENDE, Haroldo (Org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica, 2015, p. 49-56.

Publicado
2016-07-11
Seção
Artigos