O homem do subsolo: uma leitura nietzscheana

  • Julie Christie D. Leal Universidade Federal do Pará
  • Mauro Lopes Leal UFPA
  • Roberto de Almeida Pereira Barros UFPA
Palavras-chave: Filosofia, Literatura, Psicologia, Homem do subsolo, Ressentimento

Resumo

Este artigo estabelece uma aproximação entre Friedrich Nietzsche e Fiódor Dostoiévski, a partir da perspectiva da psicologia, presente, tanto no pensamento do filósofo alemão, quanto na literatura do escritor russo, tendo como base, especificamente, a obra do autor russo Notas do Subsolo e sua caracterização do homem do subterrâneo, a qual iremos associar com os conceitos nietzschianos de ressentimento e moral do senhor e do escravo. Tem-se a delimitação de uma espécie de “psicologia das profundezas” no pensamento do filósofo alemão, que ele afirma ter herdado de Dostoiévski. O referido escritor, por sua vez, foi um profundo perscrutador de questões notadamente filosóficas, pertinentes aos debates contemporâneos, tais como: temas morais, religiosos e apreciações em torno do niilismo. Empreender-se-á, por conseguinte, uma análise do personagem central do romance Notas do Subsolo, pela perspectiva filosófica nietzschiana, identificando-o com a figura do homem do subsolo descrito pelo filósofo alemão, priorizando aspectos como o ressentimento e o esquecimento.

Biografia do Autor

Mauro Lopes Leal, UFPA
Graduado em Filosofia Licenciatura/Bacharelado pela Universidade Federal do Pará (2009). Cursando Letras-Língua Portuguesa, licenciatura plena, pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (2012-14). Mestrando em Letras pelo PPGL da Universidade Federal do Pará (2014-16). Integrante do Núcleo Interdisciplinar Kairós - Estudos de Poética e Filosofia (NIK/UFPA), grupo de pesquisa cadastrado no CNPq. O grupo atualmente desenvolve o projeto de pesquisa "A obra de arte e o pensamento poético-originário", o qual constitui um desdobramento e uma continuidade do projeto "O trágico na modernidade literária brasileira". Integrante do projeto de pesquisa Perspectivismo e modelos interpretativos na filosofia de Nietzsche (PPGFil-UFPA). Possui experiência na área de Filosofia, com ênfase na relação entre Filosofia e Literatura, Ética e Moral. Também atua nas áreas de Estudos Literários, Literatura Comparada e Literatura Russa, especialmente nos estudos referentes a obra de F. Dostoiévski e aproximações com a filosofia de Friedrich Nietzsche no que diz respeito ao Niilismo.
Roberto de Almeida Pereira Barros, UFPA
Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Pará (1994), Mestrado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (2000) e doutorado em Filosofia - Technische Universität Berlin (2006) e Pós-Doutorado pela universidade de Hildesheim - Alemanha (2010/2011). Professor Adjunto da Universidade Federal do Pará, Faculdade de filosofia, Professor permanente do programa de Pós-graduação em Filosofia (Mestrado) e colaborador junto ao programa de pós-graduação em artes (PPGArtes) da UFPA. Membro do GT Nietzsche da ANPOF. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia contemporãnea, atuando principalmente nos seguintes temas: psicologia, arte, modelos interpretativos e moral.

Referências

ARISTÓTELES. Poética. Trad., Pref., Introd., Com., Apend. de Eudoro de Sousa. Porto

Alegre: Globo, 1966.

BARRENECHEA, M. A. Nietzsche e o corpo. Rio de Janeiro: 7letras, 2009.

CARVALHAL, T.F. Literatura comparada. São Paulo: Ática, 1998.

______. Literatura comparada no mundo: questões e métodos. Porto Alegre: L&PM Ed., 1997.

COUTINHO, E. F. Literatura comparada, literaturas nacionais e o questionamento do cânone. In: Revista Brasileira de Literatura Comparada, v. 3, Rio de Janeiro: 1996.

______. Literatura comparada: reflexões sobre uma disciplina acadêmica. In: Revista Brasileira de Literatura Comparada, n. 8, Rio de Janeiro: 2006.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Notas do subsolo. Tradução: Maria Aparecida Botelho Pereira de Soares. Rio de Janeiro: L&PM, 2008.

FRANK, Joseph, Sementes da Revolta. Tradução Vera Pereira. São Paulo: EDUSP, 2008.

GIACÓIA, Oswaldo. Nietzsche como Psicólogo. São Leopoldo, RS: Editora UNISINOS, 2001.

______. O Anticristo e o Romance Russo. In: Primeira Versão, São Paulo: IFCH/UNICAMP, 1994.

NIETZSCHE, F. A Gaia Ciência. Tradução, notas e posfácio: Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia de Bolso, 2012.

______. Crepúsculo dos Ídolos. Tradução, notas e posfácio: Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia de Bolso, 2006.

______. Genealogia da Moral: uma polêmica. Tradução, notas e posfácio: Paulo César de Souza. – São Paulo, Companhia de bolso, 2008.

STAINER, George, Tolstói ou Dostoiévski. Tradução: Isa Kolpeman. São Paulo: Perspectiva, 2006.

Publicado
2015-07-13
Como Citar
Leal, J. C. D., Leal, M. L., & Barros, R. de A. P. (2015). O homem do subsolo: uma leitura nietzscheana. Aufklärung: Revista De Filosofia, 2(2), p.229-246. https://doi.org/10.18012/arf.2016.24913