O Culturalismo Brasileiro

  • David Barroso de Oliveira Universidade Federal do Ceará – UFC
Palavras-chave: História, Filosofia, Cultura

Resumo

Este artigo pretende uma historiografia do culturalismo no Brasil. Apresenta, com o culturalismo alemão, a influência da Escola de Recife na filosofia contemporanea de Djacir Menezes e Miguel Reale. Com isto, discute a existência da própria filosofia brasileira.

Biografia do Autor

David Barroso de Oliveira, Universidade Federal do Ceará – UFC
Doutorando em Filosofia, pela Universidade Federal do Ceará (UFC), vinculado à Linha de Pesquisa Ética e Filosofia Política, e cursa especialização em História do Brasil, pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Com mestrado acadêmico em Filosofia, pela Universidade Estadual do Ceará (UECE, 2016), e especialização em Docência do Ensino Superior, pela Faculdade da Aldeia de Carapicuiba (FALC, 2013). Graduado bacharel em Agronomia, pela UFC (2009), e em Filosofia, pela UECE (2013). É membro do APOENA - Grupo de Estudos em Schopenhauer e Nietzsche. Link do Currículo Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4336809A0

Referências

BARROSO, David. Oswald de Andrade: o homem cordial e a filosofia (brasileira). In: Revista Lampejo. Vol. 1. N. 6. Fortaleza: 2014.

BRITO, Rosa Mendonça. O neokantismo no Brasil. Manaus: Ed. Univ. de Manaus, 1997.

CARVALHO, João Maurício de. O tema da cultura na filosofia brasileira. In: Utopía y Praxis Latinoamericana. Ano 7. N° 17. Jun. Maracaibo-Venezuela: 2002.

CERQUEIRA, Luiz Alberto. Filosofia brasileira: ontogênese da consciência de si. Petrópoles, RJ: Vozes, 2002.

GOMES, Roberto. Crítica da razão tupiniquim. 11. ed. São Paulo: FTD, 1994.

PAIM, Antonio. A filosofia brasileira contemporânea. Vol. VII. 2. ed. 2007a.

_______. História das idéias filosóficas do Brasil: as correntes. Vol. II. 6. ed. Londrina: edições Humanidades, 2007b.

______. Os intérpretes da filosofia brasileira. Londrina: Editora UEL, 1999a.

______. Escola eclética: estudos complementares à história das idéias filosóficas no Brasil. Vol. IV. 2. ed. Londrina: CEFIL, 1999b.

______. A escola do Recife: estudos complementares à história ds idéias filosóficas do Brasil. Vol. V. São Paulo: Ed. UEL, 1997a.

______. História das ideias filosóficas no Brasil. 5. ed. Londrina: Ed. da UEL, 1997b.

______. A problemática do culturalismo. 2. ed. Porto Alegre - RS: EDIPUCRS, 1995.

______. A filosofia brasileira. Instituto de Cultura e Lingua Portuguesa: Lisboa, 1991.

______. A filosofia da escola do Recife. 2. ed. São Paulo: Convívio, 1981.

PEDROSO, Gustavo J. T. Entre o capitalismo de Estado e o Behemoth: o Instituto de Pesquisa Social e o fenômeno do fascismo. In: Cadernos de Ética e Filosofia Política. Vol. 15. N 2. São Paulo: 2009.

MATA, Sérgio da. Heinrich Rickert e a fundamentação (axio)lógica do conhecimento histórico. In: Varia História. Vol. 22. N. 36. Jul/Dez. Belo Horizonte - MG: 2006. p. 348-349-352-359-360.

MATHEUS, Carlos. Max Scheler e a gênese axiológica do conhecimento. In: Margem. N. 16. Dez. São Paulo: 2002.

MENEZES, Djacir. Premissas do culturalismo dialético. Rio de Janeiro: Cátedra, 1979.

MENEZES, Eduardo Diatahy B. O pensamento brasileiro de clássicos cearenses. Vol. 2. Fortaleza-CE: Instituto Albanisa Sarasate, 2006.

MOURA, Marinaide Ramos. O simbólico em Cassirer. In: Ideação. N. 5. Jan/Jun. UEFS - Feira de Santanta - Bahia: 2000. p. 82.

REALE, Miguel. A filosofia do direito. São Paulo: Saraiva, 1999.

______. Invariantes axiológicas. In: Estudos Avançados. Vol. 5. N. 13. Set/Dez. São Paulo: 1991.

______. Experiência e cultura: para a fundação de uma teoria geral da experiência. São Paulo: Grijalbo, EDUSP, 1977.

RIBEIRO JÚNIOR, João. O que é positivismo. São Paulo: ed. Brasiliense, 1994.

ROSELINO, L. Movimento da razão especulativa à razão prática em Kant: contribuições de Wilhelm Windelband para interpretação do método crítico. In: Kant e-Prints. Série 2. Vol. 3. N. 1. Jan/Jun. Campinas: 2008.

SEYSSEL, Ricardo. Um estudo histórico perceptual: a bandeira brasileira sem Brasil. Dissertação (Mestrado em Arte) – Universidade Estadual Paulista (UNESP). São Paulo: [s.n.], 2006.

Publicado
2016-04-21
Como Citar
de Oliveira, D. B. (2016). O Culturalismo Brasileiro. Aufklärung: Revista De Filosofia, 3(1), p.103-118. https://doi.org/10.18012/arf.2016.28387