Mulher, o outro: seu corpo e seus constituintes biológicos, segundo Simone de Beauvoir

Palavras-chave: Mulher, Corpo, Biologia

Resumo

A partir do problema do corpo e de seus constituintes biológicos, bem como da questão do movimento de “querer ser”, o artigo explora, com base na obra O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir, como a filósofa chega à gênese da submissão da mulher, segundo a perspectiva da biologia e quais as referências biológicas que permitiram ao homem reconhecer a mulher como o Outro; afirma e mostra que o corpo biológico é o ponto de partida de toda a análise da filósofa que produziu um conjunto conceitual, rigorosamente filosófico, do corpo submetido à sociedade; por fim, defende que a análise dos dados biológicos, realizada por Beauvoir à luz da filosofia existencialista, foi primordial para o desdobramento das diversas concepções que orientam o feminismo contemporâneo.

Biografia do Autor

Ester Maria Dreher Heuser, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE

Professora Associada do Curso de Filosofia (Graduação e Pós-graduação), Centro de Ciências Humanas e Sociais. Linha de pesquisa Ética e Filosofia Política.

Rafaela Ortiz de Salles, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE

Graduanda do curso de Licenciatura em Filosofia na Universidade Estadual do Oeste do Paraná, UNIOESTE/campus Toledo. É bolsista do Programa de Educação Tutorial (PET/Filosofia), onde atualmente pesquisa a filosofia política de Carole Pateman. Foi bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) de julho de 2016 a fevereiro de 2018. Interessa-se por pesquisas relacionadas à filosofia política e filosofia feminista.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. A força das coisas. 5.ed. Trad. Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2018.

BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo. Vol. I. 3.ed. Trad. Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2016a.

BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo. Vol. II. 3.ed. Trad. Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2016b.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Fenomenologia do Espírito. 9.ed. Trad. Paulo Meneses. Rio de Janeiro: Vozes, 2014.

HISTÓRIA de um Casamento. Dir. Noah Baumbach. EUA: Heyday Films, 2019. Filme.

LEE, Rita; CARVALHO, Roberto de. Cor-de-Rosa Choque. In: LEE, Rita. Flagra. Rio de Janeiro e São Paulo: Sigla, 1982. 1 CD. Faixa 8.

NICHOLSON, Linda. “Interpretando o gênero”. In: Revista Estudos Feministas, v. 8, n. 2, 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/11917. Acesso em 11 maio 2020.

MURAMATSU, H. Clarice; Et. al. “Consequências da síndrome de tensão pré-menstrual na vida da mulher”. In: Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 35, n. 3, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-62342001000300002. Acesso em 27 mar. 2020.

RIBEIRO, Djamila. Simone de Beauvoir e Judith Butler: aproximações e distanciamentos e os critérios da ação política. Dissertação (Universidade Federal de São Paulo), 2015. Disponível em: http://repositorio.unifesp.br/bitstream/handle/11600/49071/dissertacao-djamila-tais-ribeiro-dos-santos.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em 13 maio 2020.

VAZ, Henrique Cláudio de Lima. “O senhor e o escravo: uma parábola da filosofia ocidental”. In: Síntese, v. 8, n. 21, 1981. Disponível em: https://faje.edu.br/periodicos/index.php/Sintese/article/view/2175. Acesso em 27 mar. 2020.

WOLF, Naomi. O mito da beleza: Como as imagens de beleza são usadas contra as mulheres. 1.ed. Trad. Waldéa Barcellos. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2018.

WOOLF, Virginia. Profissões para mulheres e outros artigos feministas. Trad. Denise Bottmann. Porto Alegre: L&PM, 2019.

YOUNG, Iris Marion. “Representação política, identidade e minorias”. In: Lua Nova: Revista de Cultura e Política, n. 67, 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-64452006000200006. Acesso em 11 maio 2020.

Publicado
2020-10-17
Como Citar
Heuser, E. M. D., & Salles, R. O. de. (2020). Mulher, o outro: seu corpo e seus constituintes biológicos, segundo Simone de Beauvoir. Aufklärung: Revista De Filosofia, 7(2), p.93-106. https://doi.org/10.18012/arf.v7i2.52539