Heidegger: técnica e esquecimento do ser

Autores

  • José Ricardo Barbosa Dias Universidade Federal do Piauí, UFPI

DOI:

https://doi.org/10.18012/arf.v7i3.55972

Palavras-chave:

Heidegger, Técnica, Verdade, Liberdade

Resumo

Trata-se de circunscrever o sentido do fenômeno da técnica no horizonte do pensamento de Heidegger e sua crítica à metafísica clássica. Para tanto, em um primeiro momento apresentamos o fenômeno da técnica no âmbito de sua leitura dessa metafísica em sua essência: o esquecimento do ser. Em um segundo momento, apresentamos, nos limites de nosso texto e de modo mais particular, dois acenos descortinadores da essência do fenômeno em questão. O primeiro no nexo téchne, verdade e liberdade e o segundo no nexo técnica, ciência e metafísica. Para, então, concluir com uma breve chamada de atenção acerca do que podemos guardar como o legado básico do pensamento de Heidegger acerca dessa central questão para nós da era tecnológica atual.

Biografia do Autor

José Ricardo Barbosa Dias, Universidade Federal do Piauí, UFPI

Possui Doutorado em Filosofia pelo Programa Integrado em Filosofia (UFPB-UFPE-UFRN / 2010). Mestrado em Filosofia pelo Universidade Federal da Paraíba(UFPB / 2000). Graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA / 1995). Atualmente é Professor Adjunto IV da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Tem experiência na área de Filosofia Contemporânea, com ênfase em Metafísica, Ontologia, Hermenêutica e Antropologia, atuando, principalmente, junto a essas áreas, na perspectiva do pensamento de Martin Heidegger. Desenvolve, junto ao Programa de Pós-Graduação em Filosofia, o Projeto de Pesquisa: Ontologia-Hermenêutica-Antropologia: a tarefa de determinação da Antropologia Filosófica no horizonte da Interpretação Originária em Heidegger

Referências

CAMPOS, Maria J. Rua Heidegger e a reflexão sobre a técnica. In: Kriterion: revista de filosofia. Belo Horizonte: Resenha 72, Janeiro a Junho, 1984, p.53-63.

CARVALHO, H.B. A de. Hans Jonas e o giro empírico da filosofia da tecnologia: notas sobre um diálogo com a pós-fenomenologia. Filosofia Unisinos – Unisinos Journal of Philosophy. 21(1): 56-71, jan./abr. 2020.

HABERMAS, J. Técnica e ciência como “Ideologia”. Trad. Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1994.

HEIDEGGER, Martin. Chemins qui ne mènent nulle part. Éditions Gallimard, 1962 (Col. TEL).

HEIDEGGER, Martin. Introdução à metafísica. Trad. Emannuel Carneiro Leão. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1987, p. 170-176.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. 3. ed.Trad. Márcia de Sá Cavalcante. Petrópoles, RJ: Vozes, 1989.

HEIDEGGER, Martin. Sobre a essência da verdade. In. Conferências e escritos filosóficos. 4. ed. Trad. Ernildo Stein. São Paulo: Nova Cultural, 1991a (Os Pensadores).

HEIDEGGER, Martin. O fim da filosofia e a tarefa do pensamento. In: Conferências e escritos filosóficos. 4. ed. Trad. Ernildo Stein. São Paulo: Nova Cultural, 1991b (Os Pensadores).

HEIDEGGER, Martin. A tese de kant sobre o ser. In: Conferências e escritos filosóficos. 4. ed. Trad. Ernildo Stein. São Paulo: Nova Cultural, 1991c (Os Pensadores).

HEIDEGGER, Martin. A questão da técnica. Trad. de Emmanuel Carneiro Leão. In: Ensaios e conferências. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

HEIDEGGER, Martin. A Origem da obra de arte. Trad. de Maria da Conceição Costa, Lisboa: edições 70, 1992.

HEIDEGGER, Martin. Prolegômenos a história do conceito de tempo. Trad. Jaime Aspiunza Elguezabal. Madrid: Alianza Editorial, 2007.

HEIDEGGER, Martin. Seminario de Le Thor. Trad. Diego Tatián. Córdoba-Argentina: Alción Editora, 1995.

HEIDEGGER, Martin. As questões fundamentais da filosofia (“problemas” seletos de “lógica”). Trad. Marco Antonio Casanova. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2017.

HEIDEGGER, Martin. Serenidade. Trad. de Maria Madalena Andrade e Olga Santos. Lisboa: Instituto Piaget, 2000.

HEIDEGGER, Martin. Língua técnica e língua de tradição. Tradução de Mario Botas. 2.ed. Lisboa: Passagens, 1999.

HEIDEGGER, Martin. Ciência e meditação. In: Ensaios e conferências. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

HEIDEGGER, Martin. Seminários de Zollikon. Trad. de Gabriela Arnhold e Maria de Fátima de A. Prado. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

INWOOD, M. Dicionário Heidegger. Trad. Luísa Buarque de Holanda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2002.

NASSER, Eduardo. O tempo em Platão: os meandros da leitura heideggeriana. Revista Hypnos, O TEMPO –I, ano 11/Nº17-2º sem., 2006 – São Paulo/p.112-126.

STEIN, Ernildo. Seis estudos sobre “Ser e tempo”. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-11-28

Como Citar

Dias, J. R. B. (2020). Heidegger: técnica e esquecimento do ser. Aufklärung: Revista De Filosofia, 7(3), p.159–168. https://doi.org/10.18012/arf.v7i3.55972

Edição

Seção

Artigos