FEMINISMO E REDES SOCIAIS NA MARCHA DAS VADIAS NO BRASIL

  • Gleidiane de S. Ferreira

Resumo

Refletindo sobre o intenso intercâmbio de ideias e sobre os espaços de debates feministas na internet, este trabalho busca pensar como grupos de feministas tem se apropriado desses espaços como lugar de divulgação e discussão de suas ideias. Assim, tem como objetivo analisar as principais pautas políticas e espaços de organização que motivaram e possibilitaram a realização da chamada Marcha das Vadias em 2012 em diversas cidades do Brasil. Discute possibilidades de organização - especialmente nas redes sociais - do intercâmbio de ideias sobre discussões feministas atuais; como a violência física e simbólica contra as mulheres, a criminalização das vítimas de estupro, o aborto, dentre outros temas. Nesse sentido, esse texto analisa com um olhar histórico imagens, cartazes e manifestos que foram largamente utilizados pelas (os) realizadoras (es) das marchas, tanto como forma de debate entre feministas de todo o Brasil, como forma de diálogo com toda a sociedade.
Como Citar
FERREIRA, G. DE S. FEMINISMO E REDES SOCIAIS NA MARCHA DAS VADIAS NO BRASIL. Revista Ártemis, v. 15, n. 1, 11.
Seção
20 anos de publicações feministas no Brasil