DIANA CAÇADORA: O ATO DE TRANSGREDIR NA CONSTRUÇÃO DO SUJEITO FEMININO PÓS-MODERNO

  • Vera Lúcia Teixeira Kauss
  • Roberta Oliveira Belchior

Resumo

Este artigo tem o propósito de fazer uma leitura possível da transgressão como elemento para a construção da identidade feminina na pós-modernidade. A partir desta premissa, apresentaremos a luta da mulher no decurso da história e sua consequência quando, na década de 70, as autoras femininas passam a ter maior notoriedade no cenário da literatura, em especial, no Brasil. Vamos nos reportar, especificamente, à obra de Marcia Denser, Diana Caçadora, em que podemos observar a transgressão dos valores canônicos de maneira a possibilitar a discussão sobre o que constitui este novo sujeito feminino. Nesse novo cenário da Literatura brasileira, autoras como Helena Parente Cunha, Lia Luft, Nélida Piñon, Clarice Lispector, entre muitas outras, são escritoras-personagens fundamentais para tal abordagem. Palavras–chave: Feminismo. Transgressão. Pós-Modernidade.
Como Citar
KAUSS, V. L. T.; BELCHIOR, R. O. DIANA CAÇADORA: O ATO DE TRANSGREDIR NA CONSTRUÇÃO DO SUJEITO FEMININO PÓS-MODERNO. Revista Ártemis, v. 15, n. 1, 11.