“Montação, tombação, picumã”: uma análise antropológica da performance drag em Campo Grande - MS

  • Winny Gabriela Santana Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Tiago Duque
Palavras-chave: Drag queen, Corpos, Performance, Diferenças, Agência, Normas

Resumo

Este artigo objetiva analisar a configuração da performance drag diante de uma sociedade que regula corpos de acordo com suas normas. Isso é feito a partir da compreensão da corporalidade, teatralidade e temporalidade das participantes do concurso “Corrida das Drags”, na cidade de Campo Grande, estado de Mato Grosso do Sul. O referencial teórico adotado é dos estudos subalternos. Através do levantamento bibliográfico, da etnografia realizada durante as apresentações, das entrevistas com os interpretes das drags, conclui-se: a) há agência nas performances drag, a partir do desejo de se montar, que carrega significações e pode reiterar ou não as normas sociais; b) a “matéria prima” desta agência são seus corpos, pois são neles que ocorrem as intersecções mediadas sócio-culturalmente, c) diferentemente do que a teoria da performatividade butleriana apontou em outros contextos e período, nesse estudo observou-se que as drags têm como referencial não somente a mulher, mas outras drags.

Publicado
2020-12-22
Como Citar
SANTANA, W. G.; DUQUE, T. “Montação, tombação, picumã”: uma análise antropológica da performance drag em Campo Grande - MS. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, v. 30, n. 1, p. 331-349, 22 dez. 2020.