Espectros e corpos femininos: gritos da noite

  • Andreia Aparecida Marin Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Marcos Câmara de Castro Universidade de São Paulo/Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Palavras-chave: Espectros, Mulher, Animal, Noite

Resumo

O presente texto é tecido a partir de uma trama onde se insinuam sucessivamente a noite, a escuridão, inúmeros e provocadores espectros, além dos historicamente excluídos e relegados à dimensão das trevas – as mulheres, os animais, seus híbridos – e as quase sempre estranhas dimensões da arte e da literatura, espaços permissivos a seus ecos. Buscamos imagens na escrita de uma autora contemporânea, Clarice Lispector, e as cotejamos com pinturas surrealistas, de André Bresson e Salvador Dalí, constituindo um conjunto de espectros que motivaram pensamentos sobre a espectrologia derridiana e sobre princípios de exclusão que perdem força diante do contorno da metafísica da presença, permitindo ver nas expressões do noturno no gótico uma positivação das potências orgânicas do feminino e do animal.

Biografia do Autor

Andreia Aparecida Marin, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Departamento de Educação. Área Filosofia e Educação. Grad. Biologia/USP e Filosofia/UFPR. Dra. Ciências/UFSCar.
Marcos Câmara de Castro, Universidade de São Paulo/Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto

Escritor e professor associado do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto/USP. Graduado (1983), Mestrado (2001) e doutorado (2007) pela ECA/USP. Pós-doc na Universidade de Lorena, Nancy, França (2012-2013).

Publicado
2020-12-22
Como Citar
MARIN, A. A.; CÂMARA DE CASTRO, M. Espectros e corpos femininos: gritos da noite. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, v. 30, n. 1, p. 149-166, 22 dez. 2020.