Síndrome congênita do Zika vírus: experiências maternas

Palavras-chave: Gênero, Cuidado, Maternagem, Deficiência, Proteção social, Direitos humanos

Resumo

O trabalho teve como objetivo analisar as experiências sobre o cuidar, relatadas por mães de pessoas com deficiência múltipla. Este artigo é um recorte da pesquisa “Mães de Pessoas com Deficiência Múltipla: experiências vividas no itinerário do cuidar” na qual afirmamos que, enquanto experiência de formação humana e dimensão educativa, o cuidado tem sido ignorado. O ato de cuidar é a capacidade de interação do sujeito com o outro, o que exige a identificação de suas necessidades, aprendizagens específicas e habilidades diversas. A partir da pesquisa com 08 mulheres que, provavelmente, foram contaminadas pelo Zika vírus, refletimos sobre deficiência, cuidado e a relação de interdependência vivenciada pela família. O método adotado foi a História Oral, abordagem qualitativa e os instrumentos de coleta de dados foram questionário e entrevista. Foi evidenciado que o cuidado foi/é naturalizado como algo feminino o que torna as cuidadoras invisíveis frente à igualdade de direitos.

Biografia do Autor

Karla Muniz Belém, Secretaria de Educação do Estado da Bahia

Possui graduação em Biologia pela Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC (2014), especialista "Docência de Biologia" pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) e especialista em"Formação Pedagógica para Educação Inclusiva" (UESC). Mestre em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Membro do Grupo de Pesquisa Inclusão e Sociedade (UNEB) e do Grupo de Pesquisa Estudos sobre violência escolar: bullying e preconceito, do(a) Universidade Federal de São Paulo.

Luciene Maria da Silva, Universidade do Estado da Bahia

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal da Bahia - UFBA, mestrado em Educação pela Universidade Federal da Bahia - UFBA e doutorado em Educação: História Política e Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP. É professora titular da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), atuando na graduação e e no Programa de Pós- Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEDUC), desde 2005, orientando no mestrado e doutorado. Tem experiência na área de Educação e pesquisa, principalmente os seguintes temas: filosofia e educação, educação inclusiva e preconceito.

Publicado
2020-12-22
Como Citar
BELÉM, K. M.; SILVA, L. M. DA. Síndrome congênita do Zika vírus: experiências maternas. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, v. 30, n. 1, p. 438-465, 22 dez. 2020.