Cidade das mulheres em Quincas Berro D’Água: representações femininas em narrativas de Jorge Amado

Palavras-chave: Literatura, Quincas Berro D'Água, Representação Literária, Cidade, Identidade

Resumo

Foram muitas as mulheres que marcaram a escrita poética, cronista e intempestiva de Jorge Amado. Em meio a fantasia, mestiçagem e sexualização, personagens femininas questionaram padrões normativos, a fim de suplantar opressões, discursos e estigmas. Este artigo propõe-se a apresentar uma leitura sobre algumas representações femininas presentes no romance “A morte e a morte de Quincas Berro D’Água” (1961), do escritor baiano. A análise do texto busca problematizar o papel social exercido pelas personagens representadas por mulheres, que na obra, revelam como intencionalidades coloniais reverberam na construção das identidades de mulheres diversas, também em meados do século XX. A partir das experiências observadas nas “ganhadeiras”, prostituas e nas ditas, “mulheres de família”, notaremos como construtos sociais associados a dispositivos de poder e controle se materializavam na urbe soteropolitana. Por meio de relações de trabalho, políticas, culturais, simbólicas e afetivas, notar-se-á como estas construções, operavam pelo viés da raça e do gênero, na produção de geografias existenciais na cidade do Salvador daquela época.

Biografia do Autor

Maria Livia Ferreira dos Santos, UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

Possui graduação em licenciatura e bacharelado em Geografia pela Universidade Federal da Bahia (2013-2015), especialização em Educação em Gênero e Direitos Humanos pela Universidade Federal da Bahia (2019) e mestrado em Estudo de Linguagens pela Universidade do Estado da Bahia (2020). Coordenadora Pedagógica da educação básica, na rede estadual de ensino da Bahia.

Carlos Augusto Magalhães, Universidade do Estado da Bahia

Licenciado em Letras Vernáculas pela Universidade Católica do Salvador (1982), Bacharel em Direito pela Universidade Federal da Bahia (1980), Mestre em Literatura Brasileira pela Universidade de Brasília – UnB (1994), Doutor em Letras pela Universidade Federal da Bahia – ILUFBA (2003), Pós-Doutor pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS (2012). Professor pleno da Universidade do Estado da Bahia, é docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens.

Márcia Rios da Silva, Universidade do Estado da Bahia

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal da Bahia (1982), mestrado em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia (1992) e doutorado em Letras pela Universidade Federal da Bahia (2002). Professora titular da Universidade do Estado da Bahia, é docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens.

Publicado
2020-12-22
Como Citar
FERREIRA DOS SANTOS, M. L.; MAGALHÃES, C. A.; RIOS DA SILVA, M. Cidade das mulheres em Quincas Berro D’Água: representações femininas em narrativas de Jorge Amado. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, v. 30, n. 1, p. 25-42, 22 dez. 2020.
Seção
Dossiê: Mulheres e Cidades