Ecos decoloniais e a identidade da mulher negra em “A escrava” de Maria Firmina dos Reis

Autores

  • Paulo Eduardo Bogéa Costa Universidade Estadual do Piaui
  • Algemira de Macêdo Mendes Universidade Estadual do Piauí/Universidade Estadual do Maranhão

Palavras-chave:

A escrava, Identidade, Decolonial, Mulher negra

Resumo

Este artigo propõe analisar os ecos decoloniais no conto “A escrava”, de Maria Firmina dos Reis, lançado em 1887. A obra insere-se na ideia de uma identidade fragmentada (HALL, 2001) da mulher negra do século XIX vivida pela personagem Joana e a personagem senhora, que, ao escutar os clamores da subalterna (SPIVAK, 2010), solidariza-se com essa e com todas as mulheres negras que eram tratadas pela sociedade construída pelo colonialismo opressor (QUIJANO, 2005). A movimentação identitária das personagens levanta a seguinte indagação: como a obra “A escrava”, a partir dos ecos decoloniais, evidencia os estigmas causados à identidade da mulher negra? Para responder a problematização, percorreremos aportes de um feminismo decolonial (VERGÈS, 2020), bem como o poder de fala (RIBEIRO, 2017) dado a Joana e a senhora, quando elas erguem a voz (HOOKS, 2019) para denunciar os males ocasionados pela sociedade escravista. Portanto, todo esse processo de investigação elucida as dores causadas às mulheres negras pela sociedade patriarcalista/escravista do século XIX e revela que Maria Firmina dos Reis já ecoava um feminismo decolonial (LUGONES, 2010) no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Eduardo Bogéa Costa, Universidade Estadual do Piaui

Graduado em Letras Português-Inglês, mestrando em Letras pela Universidade Estadual do Piauí, bolsista da instituição, membro do Núcleo de Pesquisa de Literatura Piauiense e Grupo de Pesquisa de Crítica Feminista.

Algemira de Macêdo Mendes, Universidade Estadual do Piauí/Universidade Estadual do Maranhão

Doutora em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professora associada da Universidade Estadual do Piauí/Universidade Estadual do Maranhão, atuando na Graduação e Mestrado em Letras. Coordenadora do Núcleo de Estudos de Literatura Piauiense e membra do Grupo de Pesquisa de Crítica Feminista.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-12-15

Como Citar

BOGÉA COSTA, P. E.; DE MACÊDO MENDES, A. Ecos decoloniais e a identidade da mulher negra em “A escrava” de Maria Firmina dos Reis. Revista Ártemis, [S. l.], v. 34, n. 1, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/artemis/article/view/63309. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Leituras decoloniais e feministas na literatura e outras artes