FISIOLOGIA PÓS-COLHEITA DE LIMÃO BILIMBI (Averrhoa bilimbi L.), ARMAZENADO SOB ATMOSFERA MODIFICADA EM CONDIÇÕES AMBIENTAIS

  • Wellington Souto Ribeiro
  • Helder Horacio de Lucena
  • Edmilson Igor Bernardo Almeida
  • José Alves Barbosa
  • Walter Esfraim Pereira

Resumo

O trabalho foi conduzido no Laboratório de Biologia e Tecnologia Pós-Colheita no Centro de Ciências Agrárias de Areia, UFPB - PB. Os frutos de limão-de-Caiena (Averrhoa bilimbi L.) de plantações nativas da região do Brejo Paraibano. Depois de selecionados e sanitizados por 3 minutos em água clorada contendo 100mg. L-1 de cloro ativos, e secos ao ar, foram recobertos com suspensão de féculas de mandioca nas concentrações de 3 e 5% e filmes de PVC de baixa densidade, e armazenados em condições ambiente. Os frutos foram avaliados em suas características a cada 3 dias durante 15 dias. O delineamento estatístico foi inteiramente casualizado em esquema fatorial com três repetições e três unidades experimentais. Os dados foram avaliados através de análise de variância e quando significativos foram efetuadas as análise de regressão considerando os coeficientes de determinação superior a 0,60. Os maiores rendimento em polpa foram apresentados com os frutos recobertos com filmes plásticos, já a acidez, o teor de ácido ascórbico, sólidos solúveis totais foram superiores nos frutos tratados com fécula a 5%.
Publicado
2010-11-07
Seção
Artigo Científico