Polícia tem gênero? Algumas reflexões sobre mulheres e feminino na segurança pública brasileira

Autores

  • Luciana de Oliveira Dias
  • Fabrício Silva Rosa

Palavras-chave:

Polícia, Gênero, Feminino

Resumo

A partir de um estudo bibliográfico e documental, neste artigo discutimos alguns elementos provocadores do afastamento do feminino na segurança pública brasileira. As instituições policiais, e a sociedade de maneira geral, contam com representações sociais que alicerçam compreensões e que se desdobram em atos, voltadas para o entendimento de que o ofício policial está ligado à virilidade, à belicosidade, à intrepidez e, primordialmente, à disponibilidade de uso da força, em detrimento da paciência, do diálogo, da delicadeza e do trato cuidadoso. Ao problematizar elementos de feminilidade e de masculinidade, acreditamos ser possível avançar na compreensão de ambientes democráticos, problematizar conceitos, e, até mesmo, em alguns casos, desconstruí-los, abrindo frestas por onde signos de feminilidade e masculinidade possam transitar com liberdade e justiça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-01-03

Como Citar

DIAS, L. de O.; ROSA, F. S. Polícia tem gênero? Algumas reflexões sobre mulheres e feminino na segurança pública brasileira. Revista Ártemis, [S. l.], v. 18, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/22543. Acesso em: 14 jun. 2024.