Notícias

LITERATURA E ECOLOGIA: VOZES FEMINISTAS E INTERSECCIONAIS (DOSSIÊ)

2020-01-28

Considerando que as questões ambientais estão na ordem do dia e o campo literário não está fora desse contexto, para este número da Revista Artemis, o dossiê Literatura e Ecologia: vozes feministas e interseccionais receberá artigos específicos acerca desse tema. A voz crítica feminista, política por excelência, tem sido defensora incansável da interseccionalidade, por isso os artigos pautados estão abertos a elas tanto na prosa quanto na poesia, sendo também possível interfaces com outras artes. Os estudos apresentados poderão problematizar como a questão ambiental é tratada em vários campos de convivência humana a partir da produção literária (termo utilizado de forma inclusiva) de autoras/es: espiritualidade, sexualidade e erotismo, comida, animais não humanos, lixo, entres outros (BRANDÃO, 2003). Ou seja, como abordar a compreensão da natureza questionando as habituais dicotomias que aproximam e/ou afastam as mulheres (especialmente) em espaços/lugares transcorporais humanos e/ou não humanos (ou “mais-que-humanos”, conforme S. Alaimo [2010])? Serão também aceitos artigos que tratem dessa temática por outras vias teórico-críticas, bem como resenhas de livros e/ou periódicos atuais desse campo do conhecimento (ecocrítica; ecocrítica feminista ou ecofeminismo, ecopoética, entre outros afins).

Palavras-chave: Literatura e ecologia; Vozes feministas; Interseccionalidades; Ecocrítica feminista (ecofeminismo); Escritas da natureza.

PRAZO: 10/05/2020

PROPONENTE: PROFª DRª IZABEL F. O BRANDÃO/PPGLL-UFAL & CNPq

Saiba mais sobre LITERATURA E ECOLOGIA: VOZES FEMINISTAS E INTERSECCIONAIS (DOSSIÊ)

Edição Atual

v. 28 n. 1 (2019): Literatura indígena, pensamento decolonial e gênero
Publicado: 2019-12-17
Ver Todas as Edições

A Revista Ártemis divulga a produção científica no campo dos estudos de gênero, feminismos e sexualidades pelo viés interdisciplinar, abordando fenômenos sociológicos, culturais, análises históricas, literárias, psicológicas, além de estudos interseccionais. O objetivo é contribuir com a construção de novas abordagens teóricas e metodológicas, difundir artigos e pesquisas nacionais e internacionais, resenhas, entrevistas e traduções. A revista é semestral, estando vinculada aos Programas de Pós-Graduação em Sociologia e em Letras da UFPB. Em julho de 2019, recebeu classificação Qualis A2.