Devir mulher, sexualidade e subjetividade: aproximações entre Deleuze & Guattari e Pierre Bourdieu sobre a construção social dos corpos

Autores

  • Rose Marie Santini
  • Joana Camelier

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir a construção social dos corpos enquanto esquemas de percepção, de pensamento e de ação à custa da acentuação de certas diferenças e do obscurecimento de certas semelhanças entre homens e mulheres. A questão que permeia este artigo é, primeiramente, diagnosticar os discursos que consolidam uma sexualidade e uma subjetividade dominantes entre homens e mulheres a partir de uma construção social falologocêntrica dos corpos à luz da teoria social do poder simbólico de Pierre Bourdieu. Em seguida, propomos pensar como a filosofia de Deleuze & Guattari pode tomar parte no interior desta discussão na medida em que propõe a noção de devir-mulher como chave para o aniquilamento do pensamento dualista e a transformação do que somos, enquanto devir-revolucionário, e para a criação de novos modos de existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-10-16

Como Citar

SANTINI, R. M.; CAMELIER, J. Devir mulher, sexualidade e subjetividade: aproximações entre Deleuze & Guattari e Pierre Bourdieu sobre a construção social dos corpos. Revista Ártemis, [S. l.], v. 19, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/26204. Acesso em: 19 jul. 2024.