O patriarcalismo em O Conto da Aia

Autores

  • Beatriz Molari Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2019v28n1.47772

Palavras-chave:

O Conto da Aia, Patriarcalismo, Margaret Atwood

Resumo

Temas abordados pela literatura podem ser visualizados na sociedade, sejam estes incorporados a um cenário real ou distópico, como é o caso da obra O Conto da Aia, de Margaret Atwood. Publicado pela primeira vez em 1985, esta obra aborda a vida das mulheres após um golpe de Estado que instaurou uma teonomia totalitária e fundamentalmente cristã em uma região dos Estados Unidos. Considerando isto, o presente artigo aborda a obra de Atwood sob uma reflexão sociológica acerca do patriarcalismo. Para tal, partimos dos estudos de autores como Simone de Beauvoir, Maria Luísa Ribeiro Ferreira, Flávia Biroli, Michelle Perrot, entre outros. Através da perspectiva de base sociológica, acreditamos ser possível um entendimento da manifestação do patriarcalismo em O Conto da Aia e as implicações que tal sistema acarretou para a vida das personagens, o que viabiliza uma reflexão sobre uma sociedade pautada em socializações diferentes para homens e mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Molari, Universidade Estadual de Londrina

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Estadual de Londrina, Mestra em Comunicação e Bacharela em Comunicação Social - habilitação em Relações Públicas, ambos pela Universidade Estadual de Londrina.

Downloads

Publicado

2019-12-17

Como Citar

MOLARI, B. O patriarcalismo em O Conto da Aia. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 179–190, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.1807-8214.2019v28n1.47772. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/47772. Acesso em: 28 jul. 2021.