“Liberté, égalité, Beyoncé”: o feminismo em músicas pop internacional

Palavras-chave: Feminismo negro, Estudos de gênero, Músicas feministas

Resumo

Propomos discutir criticamente a presença de contextos e propostas feministas nas letras de músicas pop internacional das cantoras Ariana Grande, Marina & the Diamonds, Dua Lipa, principalmente em músicas da cantora Beyoncé, abarcando questões sobre feminismos e feminismo negro.

Biografia do Autor

Renato Gonçalves Peruzzo, Universidade Estadual de Santa Cruz
Doutorando e Mestre em Letras: Linguagens e Representações, na Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC. Tem bolsa de financiamento implementada pela CAPES. Participa dos Grupos de Pesquisa (CNPq) Estudos em Línguas e Literaturas Estrangeiras; Literatura, História e Cultura: Encruzilhadas Epistemológicas; bem como do Grupo de Pesquisa (Fapesb) O oceano de fronteiras invisíveis: literaturas em línguas inglesa e portuguesa e fluxos epistemológicos sul-sul. É licenciado em Letras, com habilitação em Língua Portuguesa, Língua Inglesa e suas respectivas literaturas pela Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC.
Sandra Maria Pereira do Sacramento, Universidade Estadual de Santa Cruz
Professora Plena do Departamento de Letras e Artes da Universidade Estadual de Santa Cruz. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagens e Representações - UESC. Líder do Grupo de Pesquisa (CNPq) Representações Identitárias Híbridas da Nação. Doutora em Letras (UFRJ).
Publicado
2019-12-17
Como Citar
PERUZZO, R. G.; SACRAMENTO, S. M. P. DO. “Liberté, égalité, Beyoncé”: o feminismo em músicas pop internacional. Revista Ártemis, v. 28, n. 1, p. 136-148, 17 dez. 2019.