Um devir-Valéria

Palavras-chave: Envelhecimento, Literatura Brasileira Contemporânea, Maria Valéria Rezende

Resumo

“Devir-Valéria” objetiva colocar em cena a escritora Maria Valéria Rezende: mulher, missionária e nos idos dos seus 76 anos. Buscou-se, neste artigo, captar os afetos que atravessam o seu ofício de escrever por meio de um corpo expressivo desses afetos. O encontro com a autora dispara devires que movimentam uma escrita liberta de uma narrativa linear e, também, de uma representação que cria um distanciamento entre as autoras e a escritora. Apresentou-se as relações de forças em luta e a potência de afetar e ser afetada da escrita-corpo-vida de Maria Valéria. Trata-se, pois, de uma questão de devir, em que forças outras são liberadas no percurso do envelhecimento e da velhice na vida missionária da escritora e na sua literatura. A linguagem poética adotada visa apreender a vibração das afecções que contagia o corpo da escritora e das autoras. Uma linguagem do pathos, livre da lógica da representação, constitui a opção experimental desse artigo.

Biografia do Autor

Maria Antonia Demasi, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC
Doutoranda do Departamento de Ciências Sociais. Área :Ciências Políticas e Envelhecimento
Publicado
2019-12-17
Como Citar
DEMASI, M. A.; M. C. TÓTORA, S. Um devir-Valéria. Revista Ártemis, v. 28, n. 1, p. 149-159, 17 dez. 2019.