A não maternidade por opção: depoimentos de mulheres que não querem ter filhos

Autores

  • Izabel Cristina Soares Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO
  • Kátia Alexsandra dos Santos Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2020v30n1.51355

Palavras-chave:

Maternidade., Não-maternidade., Gênero., Análise de Conteúdo.

Resumo

O conceito de maternidade reflete um sistema patriarcal que reforça a imposição social de constituir família, cabendo à mulher a responsabilidade compulsória de gerar e criar filhos. Todavia, é considerável o número de mulheres que não aspiram à maternidade atualmente, prova disso são as quedas nas taxas de natalidade e novas formas de organização familiar. O presente trabalho coletou dados a partir de um questionário online, respondido por 310 mulheres que afirmaram não desejar serem mães. Os dados para análise foram organizados considerando as questões mais frequentes que permeiam a temática: Maternidade compulsória: maternidade como obrigação e destino inquestionável da mulher; Arrependimento: afirmação externa de que se trata de uma escolha momentânea que gerará arrependimento; Maternidade é benção: afirmações que colocam o filho como principal fonte de felicidade. Destaca-se a possibilidade de compartilhar socialmente a opção pela não-maternidade, mas não sem julgamentos vinculados à ideia de maternidade compulsória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

SOARES, I. C.; SANTOS, K. A. dos. A não maternidade por opção: depoimentos de mulheres que não querem ter filhos. Revista Ártemis, [S. l.], v. 30, n. 1, p. 384–400, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1807-8214.2020v30n1.51355. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/51355. Acesso em: 5 dez. 2022.