Mobilidade urbana e gênero: pistas sobre a cidade heterogênea

Autores

  • Anderson de Andrade Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Candida Maria Bezerra Dantas
  • Magda Diniz Bezerra Dimenstein

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2020v30n1.55732

Palavras-chave:

Mobilidade Urbana, Desigualdades, Gênero, Mulheres

Resumo

Homens e mulheres circulam na cidade de maneira distinta, em função do acesso desigual aos recursos de mobilidade, nesse contexto, a cidade apresenta-se como espaço complexo que articula essa heterogeneidade de experiências. Diante disso, torna-se importante investigar como a literatura articula as categorias gênero e mobilidade urbana. Com o objetivo de analisar os fatores determinantes dessas diferenças, realizou-se uma revisão integrativa da produção científica dos últimos dez anos, utilizando os descritores “gênero” e “mobilidade urbana”, recorrendo aos artigos disponíveis no Portal de Periódicos CAPES, Scielo e Biblioteca Virtual em Saúde Brasil. Foram selecionados 35 artigos para análise. Os resultados sugerem que os estudos de gênero e mobilidade partilham pautas focalizadas em reivindicações sociais, porém a articulação entre eles nem sempre é evidente. Os estudos apontam para uma tendência de mudanças da mobilidade urbana a partir das tecnologias de gênero e nos ajudam a fortalecer a ideia de mobilidade enquanto dispositivo, produto de inter-relações entre as estruturas espaciais, sociais e subjetivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

DE ANDRADE SILVA, A.; BEZERRA DANTAS, C. M.; DINIZ BEZERRA DIMENSTEIN, M. Mobilidade urbana e gênero: pistas sobre a cidade heterogênea. Revista Ártemis, [S. l.], v. 30, n. 1, p. 116–135, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1807-8214.2020v30n1.55732. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/55732. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Mulheres e Cidades