A cabaça-útero de Òsun: um olhar para o corpo materno na literatura beninense

Autores

  • Maysa Morais da Silva Vieira Universidade Federal da Paraíba
  • Luciana Eleonora Calado de Freitas Deplagne

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2021v31n1.57975

Palavras-chave:

Palavras-Chave: Maternidade; Literatura Beninense; Autoria Feminina; Carmen Toudonou; Sophie Adonon.

Resumo

A partir de um olhar para as personagens femininas dos romances Presqu’une Vie e Pour une poignée de gombos, das escritoras Carmen Toudonou e Sophie Adonon , respectivamente, este artigo busca analisar como estas mulheres vivenciam a maternidade a partir do lugar no qual estão inseridas, o Benim, país localizado na África Ocidental, que sofreu um grande processo de colonização francesa que provocou profundas mudanças nos seus aspectos socioculturais e políticos. Em Presqu’une Vie e Pour une poignée de gombos, tanto a narradora-personagem quanto a narradora observadora que tecem as histórias, retratam diversos aspectos que envolvem o universo feminino, desde seus papéis na sociedade beninense enquanto mulher e esposa, como também as suas ligações com o sagrado e a ancestralidade, que conduzem os leitores a entendimentos sobre seus processos de reformulações identitárias e resgate de poder que as auxiliam na superação das diversas formas de opressão que as cercam. Nosso olhar será voltado para as experiências destas personagens femininas com a maternidade, compreendendo as diferentes relações que elas estabelecem com o seu corpo materno e as reverberações advindas com o ato da maternagem. Como aportes teóricos, este artigo seguirá à luz de epistemologias pensadas por mulheres que buscam uma ressignificação da maternidade dentro dos estudos feministas ocidentais, a exemplo do conceito de Feminismo Matricêntrico, de Andrea O'Reilly. Bem como conceitos de maternidade pensados por mulheres africanas e afro-diaspóricas, que, resgatando os valores africanos sobre o ser mãe, nos possibilitam enxergar as dinâmicas vivenciadas pelas mulheres em diferentes sociedades africanas e da diáspora negra. Destacamos os conceitos de other-mothering e mothering of the mind, cunhados pela estadunidense Patrícia Hill-Collins, e o Motherism, pensado pela nigeriana Catherine Acholonu. Ainda serão relevantes para nossas análises as contribuições teóricas de  Frantz Fanon; Bell Hooks; Sylvia Tamale; Nkiru Nzegwu; Oyeronke Oyewumi; Carla Akotirene.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-11

Como Citar

MORAIS DA SILVA VIEIRA, M.; CALADO DE FREITAS DEPLAGNE, L. E. A cabaça-útero de Òsun: um olhar para o corpo materno na literatura beninense. Revista Ártemis, [S. l.], v. 31, n. 1, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1807-8214.2021v31n1.57975. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/57975. Acesso em: 27 jan. 2022.

Edição

Seção

Maternidades e maternagens: representações e contestações