Conhecimento e uso de plantas medicinais em uma comunidade rural no município de Cuitegi, Paraíba, Nordeste do Brasil

Autores

  • Simone Silva UEPB - CH
  • Maria da Glória Vieira Anselmo
  • Wellington Miguel Dantas
  • João Henrique Rosa
  • Ernane Nogueira Nunes
  • Juliana Pontes Soares
  • Carlos Antônio Belarmino Alves

Palavras-chave:

medicina popular, etnobotânica, conhecimento tradicional

Resumo

As comunidades tradicionais são responsáveis por manter um grande elenco de plantas cultivadas para suprir necessidades alimentícias, industriais ou médicas. O conhecimento tradicional fornece dados importantes para novas descobertas científicas, e nesse panorama as pesquisas sobre o uso de plantas medicinais têm aumentado no Brasil. Assim, muitos estudos etnobiológicos vêm sendo realizados no Brasil, sendo a etnobotânica um dos campos mais desenvolvidos, devido ao seu caráter interdisciplinar na busca de entender as inter-relações entre os seres humanos e as plantas. O estudo foi realizado na comunidade do Sítio Palmeira no município de Cuitegi, localizado no estado da Paraíba (Nordeste do Brasil), na Mesorregião do Agreste paraibano e na Microrregião de Guarabira-PB, tendo como objetivo registrar o uso e importância das plantas medicinais utilizadas pelas mulheres da comunidade do Sítio Palmeira. Realizaram-se entrevistas semiestruturadas com 40 mulheres, aplicando-se o índice de Importância Relativa (IR), realizando distinção entre as citações do valor de uso atual (VUatual.) e valor potencial (VUpotencial). Foram registradas 140 espécies pertencentes a 63 famílias e para esse total obtivemos 92 indicações terapêuticas. A espécie mais citada foi Lippia alba (Mill.) N.E.Br. (erva-cidreira), com 43citações. A família botânica Lamiaceae com (10), se destacou quanto ao número de espécies representadas. Considerando a importância relativa (IR), a espécie que possui o maior valor foi Cymbopogon citratus (DC.) Stapf. (Capim santo) com IR=1,75. Quanto às partes das plantas mais utilizadas pelas mulheres, destacam-se as folhas com 440 citações. O modo de preparo mais utilizado foi: infusão (chá abafado) com 215 citações e decoto (chá cozido) com 194 citações. Quanto ao VUatual e VUpotencial destacaram-se o Cymbopogon citratus (DC.) Stapf. (Capim santo) quanto o VUpotencial= 0,27 e em VUatual= 0,77. As indicações de uso terapêuticas mais enfatizadas foram: tosse (143 citações) e dor de barriga (87 citações). Os transtornos do sistema respiratório e digestório com 217citações obteve destaque dentre os sistemas corporais. A perpetuação do conhecimento das mulheres entrevistadas afirmaram (85%) que, ensina como é feito os preparos caseiros, para seus parentes. Entende-se, que o amplo conhecimento sobre as plantas usadas pelas moradoras da comunidade dar-se através da propagação do conhecimento tradicional compartilhado entre os membros de uma mesma família. No entanto, é indispensável à realização de mais estudos etnobotânicos nessa comunidade, na perspectiva conservacionista das plantas medicinais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-10-23

Como Citar

SILVA, S.; ANSELMO, M. da G. V.; DANTAS, W. M.; ROSA, J. H.; NUNES, E. N.; SOARES, J. P.; ALVES, C. A. B. Conhecimento e uso de plantas medicinais em uma comunidade rural no município de Cuitegi, Paraíba, Nordeste do Brasil. Gaia Scientia, [S. l.], v. 8, n. 1, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/21256. Acesso em: 23 jan. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>