O ponto de vista sistêmico: a antiga physis grega ressurge nos sistemas ambientais

Autores

  • Márcio Quaranta

Resumo

Desde os seus primórdios, a humanidade interagiu com a Natureza, seu ambiente original, primeiramente para conhecer os seus recursos e sobreviver, depois para extrair materiais utilizados em atividades artísticas, sociais e econômicas, ou seja, para criar uma cultura. A partir do momento em que passou a tentar explicar a natureza pela razão, não por mitos e religiões, o ser humano criou a Ciência. Esta, de uma visão integrada da natureza na Grécia Antiga, passou no Renascimento a um modelo mecanicista e reducionista, inspirado pelo relógio mecânico e criador de um universo mecânico. Este modelo de Ciência exauriu-se por suas próprias limitações. A teoria dos sistemas, a termodinâmica do não-equilíbrio e o pensamento complexo abrem perspectivas para uma nova forma, não só de Ciência, mas também de o ser humano se reencontrar com a Natureza, da qual nunca deixou de fazer parte, e com a sua própria natureza interior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-10-20

Como Citar

QUARANTA, M. O ponto de vista sistêmico: a antiga physis grega ressurge nos sistemas ambientais. Gaia Scientia, [S. l.], v. 2, n. 2, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/2547. Acesso em: 18 jan. 2022.

Edição

Seção

New Section Title Here