Viriditas e Sabedoria: o envolvimento de Hildegard de Bingen com a natureza revivido em conceitos da biologia contemporânea

Autores

  • Márcio Quaranta

Resumo

Monja beneditina, mística, botânica, médica, compositora, escritora, louvada como santa sem ser canonizada pela Igreja Católica Romana, Hildegard de Bingen, cuja obra esteve esquecida por nove séculos, recebe atenção especial atualmente. Em suas visões, comparecia Sophia, a Senhora Sabedoria, criadora do mundo e da vida; em sua relação com a natureza, sobressaía a noção de Viriditas, sopro verde divino que mantém e renova a vida. Hildegard acreditava em uma natureza viva que precisava ser conservada, ideia ligada a uma visão orgânica de mundo, hoje contemplada no paradigma emergente na biologia, em que se destacam os conceitos de auto-organização e de autopoiese, e a teoria de Gaia. Com seu exemplo de vida, ela ensinou a necessidade da religação, do envolvimento do Homem com a natureza. Rompido este, o ser humano cai vítima do modelo dominante de civilização mundial; cabe-lhe a tarefa urgente de resgatar seu envolvimento com a natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-06-10

Como Citar

QUARANTA, M. Viriditas e Sabedoria: o envolvimento de Hildegard de Bingen com a natureza revivido em conceitos da biologia contemporânea. Gaia Scientia, [S. l.], v. 3, n. 1, 2009. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/3343. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

New Section Title Here