Percepção ambiental de agricultores de região semiárida sobre os anfíbios anuros e biocontrole de insetos pragas em sistemas irrigados e não irrigados, às margens do rio São Francisco, Brasil

Autores

  • Iaponira Sales Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Reinaldo Farias Paiva de Lucena Universidade Federal da Paraíba
  • Eliza Maria Xavier Freire Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2017v11n1.31658

Resumo

Dentre a diversidade biológica habitante da Caatinga, os anfíbios contribuem em diversas funções ecológicas, apesar de sua relevância ser pouco conhecida e reconhecida em comunidades locais e até por gestores ambientais. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi identificar o conhecimento empírico das comunidades agrícolas de Petrolândia e Itacuruba, ambas no Estado de Pernambuco, semiárido brasileiro, sobre a importância dos anfíbios anuros para o controle natural de insetos pragas, em substituição aos agroquímicos. Realizaram-se 369 entrevistas semiestruturadas sobre o conhecimento das comunidades locais acerca dos anfíbios anuros, seus modos de vida, e os tipos de pragas agrícolas existentes na região. Os resultados demonstraram que esses agricultores reconhecem os anfíbios como importantes no controle de pragas (87%, n=238, em Petrolândia; 79%, n=131, em Itacuruba), como também que o uso de agroquímicos na lavoura pode ter influenciado a migração dos anuros para as áreas urbanas (Petrolândia, 75% n=238; Itacuruba, 83% n=131). A maioria dos agricultores, 79% (n=238) Petrolândia e 87% (n=131) em Itacuruba, reconhece que muitas espécies já não existem mais nessa região. Os conhecimentos locais sobre os modos de vida dos anuros possibilitaram a identificação de pontos de localização em três mapas (dois em Itacuruba, um em Petrolândia), indicando a localização dos principais sítios de reprodução dos anuros. Estas informações, atreladas ao conhecimento empírico das comunidades estudadas, são relevantes e podem constituir subsídios no processo de conservação dos anfíbios e diminuição do uso de agroquímicos nas lavouras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iaponira Sales Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutora em Desenvolvimento e Meio Ambiente, associação ampla em Rede, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, Brasil. E-mail: iapobio@yahoo.com.br

Reinaldo Farias Paiva de Lucena, Universidade Federal da Paraíba

Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Exatas e da Natureza. Docente do Departamento de Sistemática e Ecologia, Laboratório de Etnobiologia e Ciências Ambientais, e do Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente, associação ampla em Rede. João Pessoa, PB, Brasil. E-mail: rfplnal@gmail.com

Eliza Maria Xavier Freire, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Biociências. Docente do Departamento de Botânica e Zoologia, Laboratório de Herpetologia, e do Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente, associação ampla em Rede. Natal, RN, Brasil. E-mail: elizajuju@ufrnet.br

Referências

ABROL, D.P. 2012. Pollination Biology: Biodiversity Conservation and Agricultural Production. Springer, New York, New York, USA.

AGROW. Completeguidetogenericpesticides. 2007. Disponível em:<http://www.agrow.com/multimedia/archive/00053/DS258_58994a_53150a.pdf>Acesso em: 18 maio 2015

ALBUQUERQUE, U.P.; Araujo, E.L. (2012) El-Deir, A.C.A. et al. Conservation of an Important Seasonal Dry Forest. The Scientificworld Journal. 18 pages.

ALENCAR, G. V., et al. "Percepção ambiental e uso do solo por agricultores de sistemas orgânicos e convencionais na Chapada da Ibiapaba, Ceará." Revista de Economia e Sociologia Rural 51.2 (2013): 217-236.

ALENCAR, J. B. R., SILVA, E. F. da; SANTOS, V. M. dos; LUCENA SOARES, H. K. de; LUCENA, R. F. P. de; BRITO, C. H. de. (2012). PERCEPÇÃO E USO DE “INSETOS” EM DUAS COMUNIDADES RURAIS NO SEMIÁRIDO DO ESTADO DA PARAÍBA. Biofar – Revista de Biologia e Farmácia. Volume Especial. P 72-91.

ALVES, R.R.N., PEREIRA-FILHO, G.A. (2007): Commercialization and use of snakes on North and Northeastern Brazil: implications for conservation and management. Biodivers. Conserv. 16: 969-985.

ALVES, R. M. Literatura de Cordel: por que e para que trabalhar em sala de aula. Revista Fórum Identidades. Ano 2, v. 4, p.103 – 109. Jul. – dez, 2008.

ALVES RRN, ALBUQUERQUE, UP. Ethnobiology and conservation: Why do we need a new journal? Ethnobiology and Conservation 1:1-3, (2012a).

ALVES, R. R. N; SOUTO, W. M. S. Ethnozoology in Brazil: current status and perspectives. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, n.7, art.22. 2011.

ALMEIDA, C.F.C.B. & ALBUQUERQUE, U.P. 2002. Uso e conservação de plantas e animais medicinais no estado de Pernambuco (Nordeste do Brasil): um estudo de caso. Interciencia 26(6): 276-285.

ALTVATER, E. Existe um marxismo ecológico? In: BORON, Atilio A.; AMADEO, Javier; GONZÁLEZ, Sabrina (orgs). A teoria marxista hoje: problemas e perspectivas. 1ªed. Buenos Aires: Consejo Latino-americano de Ciências Sociales – CLACSO; (2006), 488 p.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DEFESA VEGETAL (ANDEF) Tecnologia em primeiro lugar: o Brasil a caminho de se tornar o maior produtor mundial de grãos. Revista Defesa Vegetal. Maio de 2009.

ARAIA, E. Homem o Exterminador do Presente: A vida pede socorro. Revista Planeta, Ed. 448, janeiro de 2010. Disponível em: www.terra.com.br. Acesso em de julho de 2012.

BARBOSA, F. R. (2007). Desafios ao Controle de Pragas na Cultura do Feijoeiro (Phaseolus Vulgaris): Região Nordeste. Anais VI Seminário Sobre Pragas, Doenças E Plantas Daninhas do Feijoeiro. Documentos IAC, Campinas, (79).

BARBOSA, A.R. NISHIDA, A. K. COSTA, E. S. CAZÉ, A. L, R. Abordagem etnoherpetologica de São José da Mata Paraíba/ Brasil. Revista de Biologia e Ciências da Terra. Segundo semestre, ano/vol. 7, número 002. Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande/Brasil, 2007.

BARBOSA, J. E. L.; SILVA, M. M. P.; FERNANDES, M. Educação Ambiental e o desenvolvimento sustentável no semiárido. In: ABÍLIO, F. J. P (org). Educação Ambiental para o semiárido. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB. (2011), 580 p.

BARROS, F.B. Sapos e seres humanos: uma relação de preconceitos? Núcleo de Estudos Integrados Sobre Agricultura Familiar – NEAF. Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas – MAFDS. Universidade Federal do Pará, 2005.

BLAUSTEIN, A.R. & WAKE, D.B. 1995. The puzzle of declining amphibian populations. Sci. Am. 272(4):52-57.

BOGART, R.E, Duberstein J.N, Slobe D.F. Strategic communications and its critical role in bird habitat conservation: understanding the social-ecological landscape. Proceedings of the fourth international partners in flight conference. Texas, USA. 2009, p 441-452.

BRANDT, R. Mudanças climáticas e os lagartos brasileiros sob a perspectiva da historia de vida. Revista da Biologia 8, 15–18. 2012.

CALAMIA, M. A. (1999). A methodology for incorporating traditional ecological knowledge with geographic information systems for marine resource management in the Pacifc. Traditional Marine Resource Management and Knowledge Information Bulletin n.10, p. 2-12.

CALÓ, C. F. F. SCHIAVETTI. A.; CETRA, M. Local ecological and taxonomic knowledge of snapper fish (Teleostei: Actinopterygii) held by fishermen in Ilhéus, Bahia, Brazil. Neotrop. ichthyol. vol.7 no.3 Porto Alegre Sept. 2009.

CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. 10ª reimpressão. SÃO PAULO: Cultrix, 2006.

CARVALHO, C.B., FREITAS, E. B., FARIA, R.G., BATISTA, R.C., BATISTA, C.C., COELHO, W.A. & BOCCHIGLIERI, A. Natural history of Leptodactylus mystacinus and Leptodactylus fuscus (Anura: Leptodactylidae) in the Cerrado of Central Brazil. Biota Neotrop. 8(3), 2008.

CERÍACO, L. M.P. Human attitudes towards herpetofauna: the influence of folklore and negative values on the conservation of amphibians and reptiles in Portugal. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, n.8, art.8. 2012.

CERÍACO, L, M, P. Human atitudes towards herpetofauna how preferences, fear and beliefs can influence the conservation of reptiles and amphibian. Dissertação apresentada para obtenção de mestre em biologia da conservação. Universidade de Évora. 164pp, 2010.

CHAPIN F.S, WHITEMAN G. Sustainable development of the boreal forest: interaction of ecological, social, and business feedbacks. Conservation Ecology 2:12. 1998.

CHAPIN F.S, ZAVALETA E.S, EVINER V.T, NAYLOR R.L, VITOUSEK P.M, REYNOLDS H.L, HOOPER D.U, LAVOREL S, SALA O.E, HOBBIE S.E. Consequences of changing biodiversity. Nature 405:234-242. 2000.

CHARRO, M. Á. Sapos: historia de una maldición. Revista de Folklore, n.235, p.20-32. 2000.

CLOSEL, M. B. E KOHLSDORF, T. (2012). Mudancas climáticas e fossorialidade: implicacoes para a herpetofauna subterranean. Revista da Biologia 8, 19–24

COMBESSIE, J. C. O método em sociologia o que é, como se faz. São Paulo, Ed. Loyola. 2004.

COLLINS, J.P. & STORFER, A. 2003. Global amphibian declines: sorting the hypotheses. Divers. Distrib. 9:89-98.

COLLINS, J. P. E CRUMP, M. L. (2009). Extinction in our times: global amphibian decline. Oxford University Press, New York, NY, USA. 304pp.

COSTA, T.R.N., CARNAVAL, A.C.O.Q., TOLEDO, L.F. Mudanças climáticas e seus impactos sobre os anfíbios brasileiros. Revista da Biologia 8, 33–37. 2012.

COSTA, J. M. da; BARBOSA, E. H. O.; KLUTCHOWSKI, M. L. (1986). Pragas do feijoeira na Bahia e meios de combate. Salvador: Empresa de Pesquisa Agropecuária da Bahia. 80 p. (EPABA. Circular Técnica, 13).

CROWDER, L. & NORSE, E. (2008) Essential ecological insights for marine ecosystem-based management and marine spatial planning. Marine Policy 32:772-778.

DUELLMAN, W.E. & L.TRUEB. 1994. Biologyof Amphibians. Baltimore, The Johns Hopkins University Press.

DUVALL, S. Ch. (2008). Classifying physical geographic features: the case of Maninka farmers in southwestern Mali. Geografiska Annaler, Series B, v. 90, n. 4, p. 327-348.

ESBÉRARD, C. E. L.; Vrcibradic, D. 2007. Snakes preying on bats: New records from Brazil and a review of recorded cases in the Neotropical Region. Revista Brasileira de Zoologia 24 (3): 949- 953.

ETEROVICK, P.C. & SAZIMA, I. 2004. Anfíbios da Serra do Cipó. Ed. PUC Minas, Belo Horizonte

FAGGIONATO, Sandra. (2009) Percepção ambiental. Disponível em: <http://educar.sc.usp.br/biologia/textos/m_a_txt4.html> acesso em: 31 JUL. 2013.

FEHLBERG, Lorena CC; LUTZ, Leonardo V; MOREIRA, Adriana H. Agrotóxicos e seus efeitos sócio-culturais: Zona Rural do Valão de São Lourenço, Santa Teresa, ES, Brasil. 2003. Natureza on line. Disponível em: <http://www.naturezaonline.com.br/natureza/conteudo/pdf/Revista_Online_Fehlberg.pdf >. Acesso em: 22/08/2015

FONSÊCA, A. V. L. FONSÊCA, K. S. B. Contribuições da literatura de cordel para o ensino da cartografia. Revista Geografia (Londrina), v. 17, n. 2, jul./dez. 2008, Disponível na World Wide Web: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/geografia/article/view/2357/2038>. Acesso em: 16 nov. 2015. ISSN 0102 – 3888.

FLORENTINO, H. S.; ABÍLIO, F. J. P. Percepção de Educandos do Ensino Médio da Escola Estadual Dr. Trajano Nóbrega, Município de Soledade-PB, sobre os Conceitos de Meio Ambiente e Educação Ambiental. IN: X Encontro de Extensão da UFPB, 2008, João Pessoa. Anais do X Encontro de Extensão da UFPB. João Pessoa : UFPB, v. 01, p. 01-09, 2008.

FREITAS, M.A.; SILVA, T.F.S. 2007. Guia ilustrado: a herpetofauna das Caatingas a áreas de altitude do Nordeste brasileiro. Pelotas: USEB, 384p.

FROST, D. R. 2009. Amphibian species of the world: An online reference. Version 5.3 (12 February, 2009). American Museum of Natural History, New York, USA. Disponível em <http://research.amnh.org/herpetology/amphibia>. Acesso em 20 de abril de 2013.

GADOTTI, M. Educar para um novo mundo possível. 1 ed. São Paulo: Publisher Brasil, 2007. 111 p.

GARCIA, E. G.; BUSSACOS, M. A.; FISCHER, F. M.Impacto da legislação no registro de agrotóxicos de maior toxicidade no Brasil.Revista de saúde Publica.v. 39, n. 5, 2005.

GARCIA, P., DE A., & VINICIPROVA, G. Anfíbios In: Livro Vermelho da Fauna ameaçada de extinção no Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Edipucrs, 2003 p. 147 - 164.

GADOTTI, M. Educar para a Sustentabilidade. São Paulo- SP: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2008.127p.

GEIST H.J, LAMBIN E.F. Proximate causes and underlying driving forces of tropical deforestation. BioScience 52:143-150. 2002.

GERHARDINGER, L.C.; GODOY, E.A.S. & JONES, P.J.S. GERHARDINGER, L.C. (2009) Local ecological knowledge and the management of marine protected areas in Brazil. Ocean & Coastal Management 52: 154-165.

GODÍNEZ-ÁLVAREZ, H. (2004) Pollination and seed dispersal by lizards: a review. Revista Chilena de Historia Natural 77:569-577.

GOUVEIA, S. F.; ROCHA, P. A.; MILKALAUSKAS, J. S.; SILVEIRA, V. V. 2009. Rhinella jimi (Cururu toad) and Leptodactylus vastus (Northeastern pepper frog). Predation on bats. Herpetological Review, 40: 210.

HABERL H, WINIWARTER V, ANDERSSON K, AYRES R.U, BOONE C, CASTILLO A, CUNFER G, FISCHER-KOWALSKI M, FREUDENBURG W.R, FURMAN E. FROM LTER TO LTSER: CONCEPTUALIZING THE SOCIOECONOMIC DIMENSION of long-term socioecological research. Ecology and Society 11:13. 2006.

HADDAD, C.F.B. & PRADO, C.P.A. Reproductive modes in frogs and their unexpected diversity in the Atlantic forest of Brazil. Bioscience 55(3):207-217. 2005.

HADDAD, C.F.B. & SAWAYA, R.J. 2000. Reproductive modes of Atlantic Forest hylid frogs: a general overview and the description of a new mode. Biotropica 32(4b):862-871.

HADDAD, C. F. B., GIOVANELLI, J. G. R. E ALEXANDRINO, J. 2008. O aquecimento global e seus efeitos na distribuição e declínio dos anfíbios. In: Marcos S. Buckeridge. (Org.). Biologia e Mudanças Climáticas no Brasil. 1 ed. São Carlos SP: Rima Editora. p. 195-206

HOFFMANN, M., HILTON-TAYLOR, C., ANGULO, A. E COL. (mais de 100 autores). 2010. Impact of conservation on the status of the world’s vertebrates. Science 330 (6010), 1503-1509.

HOULAHAN, J.E., FINDLAY, C.S., SCHMIDT, B.R., MEYER, A.H. & KUZMIN, S.L. 2000. Quantitative evidence for global amphibian population declines. Nature 404(6779):752-755

IBAMA. Produtos agrotóxicos e afins comercializados em 2009 no Brasil. Disponível em:<http://www.ibama.gov.br/qualidadeambiental/wpcontent/files/Produtos_Agrotoxicos_Comercializados_Brasil_2009.pdf>.Acesso em 17 de maio 2015.

IBGE. Censo Agropecuário 2006: IBGE revela retrato do Brasil agrário. 2009. Disponível em: Acesso em: 06/02/2015

KATZENBERGER, M., TEJEDO, M., DUARTE, H., MARANGONi, F., e BELTRÁN, J. F. Tolerância e sensibilidade térmica em anfíbios. Revista da Biologia 8, 25–32. 2012.

KONRADSEN, F.; VAN DER HOEK, W.; COLE, D. C.; HUTCHINSON, G.; DAISLEY, H.; SINGH, S.; EDDLESTON, M. Reducing acute poisoning in developing countries options forrestricting the availability of pesticides. Toxicology. 2003;192(2-3):249-61.

LEAL, I.R. TABEPELLI, M. SILVA, J.M.C. da. Ecologia e conservação da Caatinga. Prefacio de Marcos Luiz Barroso Barros. Recife, Ed. Universitária da UFPE, 2003.

LEVIN, J. Correlação. Em: Estatística aplicada a ciências humanas. (pp. 276-316). São Paulo: Habra. 1987.

LIMA, R. S.; Educação Ambiental e a conservação da biodiversidade terrestre semiárido (Bioma Caatinga). In: ABÍLIO, F. J. P (org). Educação Ambiental para o semiárido. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2011. 580 p.

LOEBMANN, D. & HADDAD, C.F.B. (2010). Amphibians and reptiles from a highly diverse area of the Caatinga domain: composition and conservation implications. Biota Neotrop. 10(3): http://www.biotaneotropica.org.br/v10n3/en/abstract?article+bn0391003.

MACHADO NETO, J. G.; COSTA, G. M.; OLIVEIRA, M. L. Segurança do trabalhador em aplicações de herbicidas com pulverizadores de barra em cana-de-açúcar. Planta Daninha, Viçosa-MG, v. 25, n. 3, p. 639-648, 2007.

MAIA, H. J. L., CAVALCANTE, L. P. S., OLIVEIRA, A. G., SILVA, M. M. P. Educação ambiental: instrumento de mudança de percepção ambiental de catadores de materiais recicláveis organizados em associação. REMOA - V. 13, N. 13: OUT - DEZ, p. 2797 – 280, 2013.

MARCOMIN. F. E. Discutindo a formação em educação ambiental na universidade: o debate e a reflexão continuam. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande do Sul, v. especial, p.172-187, set, 2010.

MARSH, D.M. Flutuactions in amphibian populations: A meta - analysis. Biological Conservation. 101 (2001):P.327 - 335.

MENDES, Ednaldo do Nascimento et al. O uso de agrotóxicos por agricultores no município de Tianguá-Ce. AGROPECUÁRIA CIENTÍFICA NO SEMIÁRIDO, v. 10, n. 1, p. 07-13, 2014.

MELAZO, G. C. Percepção Ambiental e Educação Ambiental: Uma reflexão sobre as relações interpessoais e ambientais no espaço urbano. Olhares e Trilhas. Uberlândia-MG, Ano VI, n. 6, p. 45-51, 2005. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/viewFile/3477/2560. Acesso em 18 de junho de 2013.

MMA, Ministério do Meio Ambiente. 2008. Programa de ação nacional de combate à desertificação e mitigação dos efeitos da seca. PAN Brasil. 213 p

MORAES, G. J. (1981). Ácaros e insetos associados a algumas culturas irrigadas do Submédio São Francisco. Petrolina: EMBRAPA-CPATSA. 32 p. (EMBRAPA-CPATSA. Circular Técnica, 4).

MOREIRA, J. C., JACOB, S. C., PERES, F. et al. Avaliação integrada do impacto do uso de agrotóxicos sobre a saúde humana em uma comunidade agrícola de Nova Frigurgo, RJ. Ciência e Saúde Coletiva, v. 7, n. 2, 2002.

MORIN, E. A. Cabeça Bem-Feita. São Paulo-SP: 12º Ed. Bertrand Brasil, 2006, 128p.

NETO M. V. B., ARAÚJO, M. S. B. FILHO, J. C. A. (2014). Land use and soil degradation in the municipality of Itacuruba, Pernambuco, Brazil. Anais III Seminário Internacional Brasil – Alemanha. Uso sustentável de água e do solo de reservatórios em regiões semiáridas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife-PE. INNOVATE Status Conference.

NUNES, G. S.; RIBEIRO, M. L. Pesticidas: Uso, Legislação e Controle. Pesticidas. Ecotoxicologia e Meio Ambiente, Curitiba, v.9, p.31- 44, jan./dez.1999.

OLIVEIRA NETO, P. M. de; RIBEIRO, J. P. O. ARAÚJO, T. F. M. de; SOUZA, L. C. SOUSA JÚNIOR, S. P. de. LUCENA, R. F. P. de. 2012. CONHECIMENTO TRADICIONAL SOBRE PRODUÇÃO AGRÍCOLA EM COMUNIDADES RURAIS NO SEMIÁRIDO PARAIBANO, NORDESTE, BRASIL. Biofar – Revista de Biologia e Farmácia. Volume Especial. P 23-38.

ODUM, E. P.; BARRETT, G. W. Fundamentos de Ecologia. 5a ed. São Paulo: Thomson, 2007.

RIBEIRO-JÚNIOR, J.W. & BERTOLUCI, J. Anurans of the cerrado of the Estação Ecológica and the Floresta Estadual de Assis, southeastern Brazil. Biota Neotrop., 9(1): http://www.biotaneotropica.org.br/v9n1/en/abstract?inventory+bn0270901. 2009.

RIBEIRO, P. L. E NAVAS, C. A macrofisiologia e sua importância em estudos sobre mudanças climáticas. Revista da Biologia 8, 1–4. 2012.

SANTOS-FITA, D. COSTA-NETO. E. M. As interações entre os seres humanos e os animais: a contribuição da etnozoologia Biotemas, 20 (4): 99-110, dezembro de 2007 ISSN 0103 – 1643.

SAMPAIO, Y. BATISTA, J. E. M. Desenvolvimento regional e pressões antrópicas no bioma Caatinga. Livro: Biodiversidade da caatinga: áreas e ações prioritárias para a conservação/organizadores: – Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente:Universidade Federal de Pernambuco. Pág 311 a 346. 2003.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B.. Metodologia de pesquisa. São Paulo: McGraw-Hill, 2006.

SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de impactos ambientais: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de textos, 2008. 495 p.

SANTOS, E.M. & AMORIM, F.O. Parental care behaviour in Leptodactylus natalensis (Amphibia, Anura, Leptodactylidae). Iheringia, Série. Zool. 96(4):491-494. 2006.

SANTOS, C. et al. 2012. Aspectos da sustentabilidade sócioeconômico dos agroecossistemas do milho no estado de Sergipe. In: SIMPÓSIO REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL, 2. 2012. São Cristóvão. Anais eletrônicos. São Cristóvão: NPGEO/UFS, 2012. Disponível. Acesso em: 6 set. 2013.

SAUVÉ, L. Educação Ambiental: Possibilidades e Limitações. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 317-322. 2005.

SAZIMA, I. SAZIMA, C. SAZIMA, M (2009) A catch-all leguminous tree: Erythrina velutina visited and pollinated by vertebrates at an oceanic island. Australian Journal of Botany 7:26-30.

SILVA, M. M. P.; LEITE, V. D. Estratégias para realização de educação ambiental em escolas do ensino fundamental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 20, p. 1-21, jan/jun. 2008.

SILVA, M. M. P.; RIBEIRO, L. A.; CAVALCANTE, L.P.S.; OLIVEIRA, A. G.; SOUZA, R. T. M.; OLIVEIRA, J. V. Quando educação ambiental faz diferença, vidas são transformadas. Revista eletrônica de mestrado em educação ambiental. v.28, 2012.

SCATENA, L. M.; DUARTE, R de G. Como o produtor rural usa agrotóxicos. JBSE- Journal of The Brazilian Society of Ecotoxicology, São Paulo, v. 1, n. 2, 191-194, 2006.

SODHI NS, EHRLICH PR. Conservation biology for all. 1 ed. Oxford University Press Oxford, UK. 2010.

SOUZA, T. J., AMORIM, M. C. C., NETO, J. A. S., SANTOS, E. F. N. Percepção dos frequentadores de Área de Preservação Permanente em Petrolina-PE quanto ao meio ambiente e a degradação ambiental. Revista Semiárido De Visu, v.2, n.3, p.317-325, 2012

SPRADLEY, J. P. & McCURDY, D. W. 1972. The cultural experience: ethnography in complex society. Tennessee, Kingsport Press of Kingsport.

STEBBINS, R. C.; COHEN, N. W. A Natural History of Amphibians. New Jersey: University Press,1995.

STUART, S.N. HOFFMAN, M. CHARSON, J.S. COX, N.A. BERRIDGE, R.J. RANANI, P. and youg, B.E. (eds), 2008. Threatened Amphibions of the world. Lynx edicions, Barcelona, Spain. IUCN, Gland, Switzerland, and conservation international, Arlington, Virginia, USA.

TÁCIO, M. B.; OLIVEIRA, M. L.; MACHADO NETO, J. G. Segurança no preparo de calda com formulações líquidas de agrotóxicos para cultura da goiaba. Revista Brasileira de Fruticultura. v. 32, p. 726-735, 2010.

TEJEDO, M., MARANGONI, F., PERTOLDI, C., RICHTER-BOIX, A., LAURILA, A., ORIZAOLA, G., NICIEZA, A. G., ALVAREZ, D. E GOMEZ-MESTRE, I. Contrasting effects of environmental factors during larval stage on morphological plasticity in post-metamorphic frogs. Climate Research 43, 31–39, 2010.

TAVELLA, L. B. et al. O uso de agrotóxicos na agricultura e suas consequências toxicológicas e ambientais. Agropecuária Científica no Semiárido, v. 7, n. 2, p. 06-12, 2012.

THIOLLENT, Michael. Metodologia da pesquisa-ação. 15ªed. São Paulo: Cortez, 2007. 134 p.

VALENCIA-AGUILAR, A., A.M. CORTÉS-GÓMEZ, AND C.A. RUIZ-AGUDELO. (2013). Ecosystem services provided by amphibians and reptiles in neotropical ecosystems. International Journal of Biodiversity Science, Ecosystem Services and Management 9:257–272.

VAN-SLUYS, M. & ROCHA, C.F.D. 1998. Feeding habitats an microhabitats utilization by two syntopic Brazilian Amazonian frogs Hyla minuta and Pseudopaludicula sp. (gr. Falcipes). Rev. Bras. Biol. = Braz. J. Biol. 58(4):559-562.

VALLEJO, J. R.; GONZÁLEZ, J. A. Los anfibios en la medicina popular española, la farmacopea de Plinio y el Dioscórides. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, 2013.

VIERTLER, R. B. Métodos antropológicos como ferramenta para estudos em etnobiologia e etnoecologia. In: AMOROZO, M. C. M.; MING, L. C.; SILVA, S. P. (Ed.). Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. Rio Claro: Unesp. 2002. p. 31-46

VITOUSEK P.M, MOONEY H.A, LUBCHENCO J, MELILLO J.M. Human domination of Earth's ecosystems. Science 277:494-499. 1997.

WELLS, K. D. The courtship of frogs. In: The Reproductive Biology of Amphibians New York: Plenum Press, 1977.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2017-03-31

Como Citar

OLIVEIRA, I. S.; LUCENA, R. F. P. de; FREIRE, E. M. X. Percepção ambiental de agricultores de região semiárida sobre os anfíbios anuros e biocontrole de insetos pragas em sistemas irrigados e não irrigados, às margens do rio São Francisco, Brasil. Gaia Scientia, [S. l.], v. 11, n. 1, 2017. DOI: 10.22478/ufpb.1981-1268.2017v11n1.31658. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/31658. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)