Análise das notificações de agravos por peçonhentos na região metropolitana de Campina Grande – Paraíba/Brasil - 2010/2015

Autores

  • Abraão Ribeiro Barbosa UFPB
  • Cristiane Miranda Furtado
  • Marília Gabriela dos S. Cavalcanti
  • Reinaldo Farias Paiva de Lucena

Palavras-chave:

Animais Peçonhentos, Agravos a saúde, Toxicologia

Resumo

Animais peçonhentos dividem espaço com a população humana muitas vezes provocando acidentes fatais. Podem tornar-se um problema de saúde pública, que requer cuidados específicos e ações permanentes e incisivas. Na Região Metropolitana de Campina Grande – Paraíba (RMCG), os acidentes com peçonhentos são tratados no Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes (HETDLGF), e os registros dos agravos são feitos pelo Centro de Assistência Toxicológica (CEATOX) com sede neste hospital. O presente trabalho objetivou comparar as informações requeridas pelos questionários do CEATOX, com os dados de agravos disponibilizados pelo Ministério da Saúde. Para tanto, utilizou-se da análise dos itens com relevância biológica contidos no modelo, adotado pelo CEATOX, de Ficha de Investigação; como também foram utilizados dados do Portal TabNet pertencente ao Governo Federal. Como resultados, tem-se uma discussão crítica sobre falhas na captação de informações biológicas referentes aos agravos, e ainda a verificação de que o sistema TabNet não considera de forma ampla a biologia dos acidentes, possivelmente contendo subnotificação em alguns casos. Concluiu-se que a interpretação destes dados biológicos fornece relevantes entendimentos sobre falhas no sistema de notificação, desde sua captação inicial de dados, até a publicação tabulada dos números pelo Ministério da Saúde. A compreensão destas lacunas pode ser utilizada em ações pontuais destinadas ao aperfeiçoamento dos agentes de saúde e instituições envolvidas no processo de atendimento dos vitimados, como também, nas medidas de prevenção e primeiros socorros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, H. N. D. et al. Presença de Latrodectus geometricus C. L. Koch, 1841 e Latrodectus curacaviensis Müller, 1776. Revista de Biologia e Ciências da Terra, Campina Grande, v. 5, n. 1, 2005.

ALBUQUERQUE, H. N. D. et al. Registro de Loxosceles amazonica Gertsch, 1967 (Aranae, Sicariidae) no Cariri Paraibano. Revista de Biologia e Ciências da Terra, Campina Grande, v. 1, n. 5, 2004.

AZEVEDO, J. L. S. D. A importância dos Centros de Informação e Assistência Toxicológica e sua contribuição na minimização dos agravos à saúde e ao meio ambiente no Brasil, Brasília, jun. 2006.

BARBOSA, A. R. Animais Peçonhentos: Notificação e Identificação dos Espécimes. Revista Brasileira de Toxicologia, v. 25, p. 114, 2012.

BRASIL. Guia de vigilância epidemiológica. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, 2016.

BRAZIL IV. 2015. Acidentes com animais peçonhentos. Instituto Vital Brazil. Disponível em: <http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/cientista.html>. Acesso em: 17 de Novembro de 2015.

BUTANTAN I. 2015. Animais peçonhentos. Instituto Butantan. Disponível em: <http://www.butantan.gov.br/butantan/nossahistoria/Paginas/default.aspx>. Acesso em: 17 de Novembro de 2015.

FISZON, J. T.; BOCHNER, R. Subnotificação de acidentes por animais peçonhentos registrados pelo SINAN no Estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2005. Revista Brasileira de Epidemiologia, Rio de Janeiro, 11-1, 2008. 114-127.

FITA, D. S.; COSTA NETO , E. M.; SCHIAVETTI,. 'Offensive' snakes: cultural beliefs and practices related to snakebites in a Brazilian rural settlement. Journal of ethnobiology and ethnomedicine, Fita, Didac, 6, 2010. 13.

GIUPPONI, A. P. D. L.; VASCONCELOS, E. G. D.; LOURENÇO, W. R. The genus Ananteris Thorell, 1891 (Scorpiones, Buthidae) in southeast Brazil, with the description of three new species. ZooKeys, v. 13, p. 29-41, 2009.

GUSMÃO, M. A. B.; CREÃO-DUARTE, A. J. Diversidade e análise faunística de Sphingidae (lepisoptera) em área de brejo e caatinga no Estado da Paraíba, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, v. 3, n. 21, p. 491-498, set. 2004.

IBGE. 2015. IBGE Cidades. Disponível em: <http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/home.php>. Acesso em: 13 de Fevereiro de 2016.

JANUÁRIO, A. H. et al. Neo-clerodane diterpenoid, a new metalloprotease snake venom inhibitor from Baccharis trimera (Asteraceae): anti-proteolytic and anti-hemorrhagic properties. Chemico-biological interactions, 2004. 243 - 251.

LUCAS SM. 2009. Aranhas de Interesse Médico. In: Cardoso JLC et al. Animais Peçonhentos do Brasil. São Paulo: Sarvier, 2: 538.

NOGUEIRA, A. D. S. et al. Inventário preliminar da escorpiofauna no Município de Campina Grande - Paraíba. BioFar, Campina Grande, v. 3, n. 1, p. 74, 2008.

OLIVEIRA HFAD et al. 2013. Relatos de acidentes por animais peçonhentos e medicina popular em agricultores de Cuité, região do Curimataú, Paraíba, Brasil,. Revista Brasileira de Epidemiologia. 16(3), 2013. 633-43

OLIVEIRA, Fagner Neves et al . Accidents caused by Bothrops and Bothropoides in the State of Paraiba: epidemiological and clinical aspects. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., Uberaba , v. 43, n. 6, p. 662-667, Dec. 2010 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822010000600012&lng=en&nrm=iso>. access on 14 Sept. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822010000600012.

PARAÍBA.UEPB. CONSUNI. Resolução nº 116, de 11 de jun. de 2015. Cria o Centro de Assistência e Informação Toxicológica de Campina Grande – CEATOX, e aprova seu Regimento Interno e dá outras providências. Diário Oficial do Estado da Paraíba, João Pessoa, PB, 11 jun. 2015. Disponível em: <http://paraiba.pb.gov.br/wp-content/uploads/2015/06/Diario-Oficial-11-06-2015.pdf>. Acesso em: 04 de dezembro 2015.

PORTO, T. J. et al. Escorpiões da Caatinga: conhecimento atual e desafios. In: BRAVO, F. E. C. A. Artrópodes do Semiárido: biodiversidade e conservação. Feira de Santana: Printmídia, 2014. p. 298.

ROCHA, M. M. T. D.; FURTADO, M. D. F. D. Análise das atividades biológicas dos venenos de Philodryas olfersii (Lichtenstein) e P. patagoniensis (Girard) (Serpentes, Colubridae). Rev. Bras. Zoologia, Curitiba, v. 24, n. 2, Jun. 2007.

ROCHA, M. M. T. D.; FURTADO, M. D. F. D. Caracterização individual do veneno de Bothrops alternatus Duméril, Bibron & Duméril em função da distribuição geográfica no Brasil (Serpentes,Viperidae). Rev. Bras. Zoolologia, Curitiba, jun. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81752005000200012&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 22 abr. 2016.

ROLAND, E. Y. Scorpions of the World. The Journal of Arachnology, France, v. 39, p. 166-167, 2010. Disponível em: <http://www.bioone.org/doi/full/10.1636/0161-8202-39.1.166>. Acesso em 03 fev. 2016.

ROSA, J. A. R. D. et al. Relatório Epidemiológico - Acidentes por Animais Peçonhentos. Secretaria Municipal de Saúde. Bento Gonçalves, p. 23. 2015.

SILVA, E. M. D. Lista de espécies de Apidae (Hymenoptera) do semiárido com base na literatura especializada. In: BRAVO, F.; CALOR, A. Artrópodes do Semiárido: biodiversidade e conservação. Feira de Santana: Printmídia, 2014. p. 298.

SILVEIRA, A. L. Novos registros geográficos da aranha-marrom Loxosceles amazonica Gertsch, 1967 (Araneae, Sicariidae) no Nordeste do Brasil e sua importância médica. Revista de Medica de Minas Gerais, v. 1, n. 25, p. 37-45, 2015.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-12-19

Como Citar

BARBOSA, A. R.; FURTADO, C. M.; CAVALCANTI, M. G. dos S.; LUCENA, R. F. P. de. Análise das notificações de agravos por peçonhentos na região metropolitana de Campina Grande – Paraíba/Brasil - 2010/2015. Gaia Scientia, [S. l.], v. 10, n. 4, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/34742. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)