O GÊNERO E A PROFISSÃO DOCENTE: IMPACTOS NA MEMÓRIA DAS NORMALISTAS

  • Amanda O. RABELO

Resumo

A memória enquanto instrumento de poder tenta constituir e controlar o indivíduo, inclusive na opção profissional, desta forma destaca-se o fato de existirem ofícios mais procurados por mulheres e outros por homens. Dentre as profissões historicamente destinadas ao gênero feminino, a função de professor envolve um direcionamento histórico, uma memória e justificativas que invocam diferenças biológicas para dizer que é “natural” que a mulher opte por essa profissão. Portanto, neste artigo pretendo analisar as forças que se afrontam na formação da escolha profissional e da memória de algumas normalistas entrevistadas (as alunas dos cursos médios – anterior à graduação – de formação para professoras de 1ª a 4ª séries do ensino fundamental), provenientes de um Instituto de formação de professores situado em uma zona afastada da cidade do Rio de Janeiro/Brasil.
Publicado
2007-06-20
Como Citar
RABELO, A. O. O GÊNERO E A PROFISSÃO DOCENTE: IMPACTOS NA MEMÓRIA DAS NORMALISTAS. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, n. 6, 20 jun. 2007.
Seção
Artigos