As/os trans são vistas/os na escola?

  • Naomi Neri Santana Universidade Estadual de Maringá
  • Alexandre Luiz Polizel Universidade Estadual de Maringá
  • Eliane Rose Maio Professora Adjunta do Departamento de Teorias e Práticas da Educação da Universidade Estadual de Maringá

Resumo

Nos tangenciares entre gênero e sexualidade, a transexualidade “borra” os regimes de verdades e das significações binárias. Objetivamo-nos aqui, então, em compreender quais representações as/os professoras/es encontram-se imersas/os e situados/as frente ao assunto ‘transexualidade’. Para isto foram entrevistadas/os doze professoras/es das disciplinas de Ciências e Biologia, jurisdicionadas/os pelo Núcleo Regional de Educação de Maringá, Paraná. As entrevistas foram guiadas por meio de questionários semiestruturados contendo sete questões. Para análise destas trabalhamos com análise de conteúdo e elaboração de categorizações de intersubjetividades. Evidenciou-se que os/as docentes compreendem os indivíduos trans a vinculações emocionais, afetivas ou de autoconhecimento ou como desvio das normas. Concluímos que, quanto às dificuldades encontradas pelas/os entrevistadas/os, sobre a temática das pessoas trans no espaço escolar, acabam responsabilizando estas pessoas ou a equipe pedagógica da escola, bem como outros/as estudantes ou a comunidade externa, pela violência que sofrem.

Biografia do Autor

Naomi Neri Santana, Universidade Estadual de Maringá
Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá
Alexandre Luiz Polizel, Universidade Estadual de Maringá
Licenciando em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá.
Eliane Rose Maio, Professora Adjunta do Departamento de Teorias e Práticas da Educação da Universidade Estadual de Maringá
Psicologa pela Universidade Estadual de Maringá Mestra em Psicologia pela Universidade Estadual de Maringá Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"
Publicado
2016-12-27
Como Citar
SANTANA, N. N.; POLIZEL, A. L.; MAIO, E. R. As/os trans são vistas/os na escola?. Revista Ártemis, v. 22, n. 1, 27 dez. 2016.
Seção
Dossiê: Gêneros e sexualidades