As práticas de cura das benzedeiras da Amazônia paraense: saberes, identidades e lugares de gêneros

Resumo

Este trabalho objetiva o resgate da memória de benzedeiras da comunidade de Taquandeua, situada no município de Bragança-PA. Busca-se posições assumidas e formas representativas que desempenham, conduzidas por meio dos discursos que tomam seus corpos dentro do ofício da cura espiritual e biológica, possibilitando uma maior visibilidade ao processo de construção de ser mulher, baseada nas experiências de reza junto ao seu coletivo, membros ou não da comunidade. Acredita-se que é nos arranjos da vida cotidiana que elas tecem suas próprias histórias, sustentadas em simbiose de corpo, voz, orações, gestos e ações, ao produzir formas subjetivas de ser e estar no espaço social, e reproduzir efeitos para além dos prestígios da reza e práticas de cura.

Biografia do Autor

Nadson Fernando Nunes da Silva, Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, Brasil.
Mestrando em Programa de Pós-graduação em Ciências e Matemática (UFPA); Pós-graduado lato sensu em educação e interculturalidade (UFPA).
Norma Cristina Vieira, Universidade Federal do Pará, Bragança, Pará, Brasil.
Professora Adjunta da Faculdade de Educação (FACED) e do Programa de Pós- Graduação em Linguagens e Saberes da Amazônia (PPLSA) - Universidade Federal do Pará, Campus Bragança; Pesquisadora do Grupo de Estudos Socioambiental Costeiro (ESAC); Coordenadora do Grupo de Estudos de Educação Socioambiental (GUEAM).
Publicado
2020-07-17
Como Citar
NADSON FERNANDO NUNES DA SILVA; NORMA CRISTINA VIEIRA; OLIVEIRA, M. V. As práticas de cura das benzedeiras da Amazônia paraense: saberes, identidades e lugares de gêneros. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, v. 29, n. 1, p. 243-259, 17 jul. 2020.