Eveline e Elvira: subjetividades femininas em diálogo intertextual

  • Genilda Azeredo UFPB
  • Bernardo L. A. Soares UFPB

Resumo

O objetivo deste texto é analisar a intertextualidade entre os contos “Eveline”, do irlandês James Joyce, e “A Fuga”, da brasileira Clarice Lispector, investigando suas relações estéticas, narrativas e sócio-culturais e as maneiras como esses contos se complementam em sua representação da subjetividade feminina. Para tanto, usamos como fundamentos teóricos discussões sobre intertextualidade (Bakhtin, 1987; Kristeva, 1980; Samoyault, 2008) em diálogo com discussões de outros críticos sobre o assunto (Allen, 2000; Stam, 2003). Para a discussão sobre subjetividade, utilizamos o texto de Culler (1999), “Identity, identification and the subject”. Os resultados demonstram a relevância da intertextualidade não apenas do ponto de vista do autor que retoma e resgata textos anteriores, reencenando-os em novos contextos, mas também a partir da recepção, como função de leitura e interpretação. Ou seja, a capacidade crítica do leitor possui função proeminente na articulação entre textos e na ressonância intertextual daí resultante. Por comparar contos de autores diferentes, pertencentes a contextos históricos e culturais distintos, a pesquisa também utiliza a concepção Bakhtiniana de cronotopo, de modo a contribuir para o campo dos estudos comparados, de modo mais geral.

Biografia do Autor

Genilda Azeredo, UFPB
Professora Titular do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da UFPB. Pesquisadora PQ2 do CNPq
Publicado
2020-07-17
Como Citar
AZEREDO, G.; L. A. SOARES, B. Eveline e Elvira: subjetividades femininas em diálogo intertextual. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, v. 29, n. 1, p. 316-325, 17 jul. 2020.