Os hibridismos estético-culturais na caixa Visagens Nordestinas, do grupo paraibano Cabruêra

Autores

  • Herom Vargas Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)
  • Raron de Barros Lima Moura Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)

Palavras-chave:

Cabruêra, Cultura Popular, Inovação, Hibridismo, Nordeste Brasileiro

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar os aspectos estético-culturais que caracterizam como híbridas três fotografias e três canções da caixa Visagens nordestinas (2012), da banda paraibana Cabruêra. A caixa contém o livro de fotos Nordeste desvelado e o CD Nordeste oculto e as temáticas centrais são a religiosidade e a cultura popular nordestina A pesquisa é exploratória com análise semiótica como metodologia, baseada nos conceitos do semioticista Iúri Lótman. Nas canções Padre Cícero, Pena Dourada e Druidas do Agreste e nas respectivas fotos relacionadas às faixas musicais (intituladas: 1 - Feira de Artesanato da Igreja do Socorro, 2 - Crianças de Tribo Seminômade e 3 - Joaquim Mulato, Líder do Grupo de Penitentes), o hibridismo foi observado nas relações entre os códigos visual, sonoro e textual, na sonoridade do sitar indiano, nos objetos, indumentárias e temas religiosos, nos elementos indígenas, tudo permeado pelos códigos da cultura popular nordestina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-27

Como Citar

VARGAS, H.; MOURA, R. de B. L. Os hibridismos estético-culturais na caixa Visagens Nordestinas, do grupo paraibano Cabruêra. Culturas Midiáticas, [S. l.], v. 8, n. 2, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/cm/article/view/27214. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos