Deficiência intelectual e prática docente: reflexões teórico-práticas

Autores

Palavras-chave:

Formação docente. Deficiência intelectual. Alfabetização.

Resumo

Este artigo se inscreve no contexto da formação docente continuada, voltada para a temática da alfabetização de crianças com deficiência intelectual. Tem como objetivo discutir questões relacionadas ao processo de inclusão escolar de crianças com DI, tratando da influência do modelo biomédico nas formas de conceber a deficiência intelectual, do sistema de classificação da DI, da concepção de que o aluno com DI tem diversas possibilidades de aprendizagem, além de propor reflexões sobre as concepções das professoras participantes desse estudo. A pesquisa é de abordagem qualitativa, de cunho exploratório, com característica interventiva e colaborativa, realizada no contexto de uma escola da rede pública de ensino de João Pessoa-PB. Os momentos formativos ocorreram com repertórios profissionais reflexivos diante da prática educativa. Os dados foram coletados por intermédio de questionários, entrevistas, bem como de observação participante dos encontros, nos quais foram apresentados três vídeos para facilitar e mediar o contato com as temáticas de estudo. Como resultado, foi constatado que, no espaço escolar, ainda se encontra muito arraigado nos educadores o modelo biomédico da deficiência. Esse pensamento é reducionista, pois seu enfoque está direcionado apenas para as questões físicas, orgânicas, causadoras da “anormalidade”. É preciso refletir que para alfabetizar um aluno com deficiência intelectual é necessário se basear nas diferenças que o processo possa apresentar e a partir destas construir uma prática pedagógica que insira a todos indistintamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helayne Nascimento, Prefeitura Municipal de João Pessoa-PB

Graduada em Pedagogia (UFPB), especialista em Psicopedagogia (Faculdade Atlântico) e em Educação Especial (UFC). Mestra em Educação Especial (UFRN). Atualmente é servidora pública da Prefeitura Municipal de João Pessoa – PB. Link Lattes: http://lattes.cnpq. br/6925190260201889 Orcid: https://orcid.org/0000-0002-2699-0239 

Rita de Cássia Barbosa Paiva Magalhães, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduada em Pedagogia (UFC), mestra em Educação Especial (UFSCar) e doutora em Educação (UFC). Atualmente é professora associada da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) no Centro de Educação. Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Pós- Graduação em Educação Especial, ambos da UFRN. Lattes: http://lattes.cnpq.br/0351736925269307. 

 

Referências

AAIDD, Associación Americana de Discapacidades Intelectuales y del Desarrollo. Discapacidad Intelectual: definición, clasificación y sistemas de apoyo. Madrid: Editorial Alianza, 2011.

AGUIAR, K. F. e ROCHA, M. L. Práticas Universitárias e a Formação Sociopolítica. Anuário do Laboratório de Subjetividade e Política, nº 3/4,1997, p. 87-102.

ARAUJO, J.C.S. Disposição da aula: os sujeitos entre a técnica e a polis. In: VEIGA, I. P.A. (Org.) Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas: Papirus, 2008. p. 45-72.

ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE DEFICIÊNCIA INTELECTUAL EDESENVOLVIMENTO. Definição de deficiência intelectual. Disponível em: https://www.aaidd.org/intellectual-disability/definition. Acesso em: 6 out. 2021

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BRAUN, P.; MARIN, M. Práticas pedagógicas e a escolarização de estudantes com deficiência intelectual. In: OLIVEIRA, A. A. S; FONSECA, K. A.; REIS, M. R. Formação de professores e práticas pedagógicas inclusivas. Curitiba: CRV, 2018, p. 113-136.

DIAS, Sueli de Souza; OLIVEIRA, Maria Cláudia Santos Lopes de Deficiência intelectual na perspectiva histórico-cultural: contribuições ao estudo do desenvolvimento adulto. Revista Brasileira de Educação Especial [online]. 2013, v. 19, n. 2 [Acesso em: 14 abr. 2022], p. 169-182. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-65382013000200003. Epub 05 Jul 2013. ISSN 1980-5470. https://doi.org/10.1590/S1413-65382013000200003.

DINIZ, D.; BARBOSA, L.; SANTOS, RUFINO. Deficiência, Direitos Humanos e Justiça. SUR. Revista Internacional de Direitos Humanos, São Paulo, ano 6, n.11, p. 65-77, dez 2009.

FARIAS, N.; BUCHALLA, C. M. A classificação internacional de funcionalidade, incapacidade e saúde da organização mundial da saúde: conceitos, usos e perspectivas. Revista brasileira de epidemiologia, v. 8, p. 187-193, 2005.

FONSECA, Géssica Fabiely. Planejamento e práticas curriculares nos processos de alfabetização de alunos com deficiência intelectual: experiências e trajetórias em tempos de educação inclusiva. 2016. 312f. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2016.

FRANÇA. Lutas Sociais, São Paulo, vol.17 n.31, p.59-73, jul./dez. 2013.

FRANCO, M. A. R. S. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 97, p. 534-551, 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Zahar, 1980.

GOMES, A. L. L.; POULIN, J. R.; FIGUEIREDO, R. V. A educação especial na perspectiva da inclusão escolar. O atendimento educacional especializado para alunos com deficiência intelectual. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2010.

GUSMÃO, E. C. R. et al. Habilidades adaptativas sociais e conceituais de indivíduos com deficiência intelectual. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 53, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1980-220X2018014903481. Acesso em: 20 mai. 2021

LEONARDO et al. As funções psicológicas superiores e suas interfuncionalidades na perspectiva histórico-cultural. In: FIRBIDA, Fabiola Gomes Batista; FACCI, Marilda Gonçalves Dias; BARROCO, Sonia Mari Shima (Org.). O desenvolvimento das funções psicológicas superiores na psicologia histórico-cultural: contribuições à psicologia e à educação. EBOOK. Uberlândia: Navegando Publicações, 2021. ISBN: 978-65-86678-97-0 10.29388/978-65-86678-97-0.

LOPES, P. Deficiência como categoria analítica: Trânsitos entre ser, estar e se tornar. Anuário Antropológico, Brasília, volume 44, n.1, p. 67-91, 2019.

MAGALHÃES, Rita de Cássia Barbosa Paiva. Contribuições para o debate sobre a aprendizagem da pessoa com deficiência na escola. Educação inclusiva e escolarização: política e formação docente, Brasília: Liber Livro, p. 91-105, 2011.

MAGALHÃES, Rita de Cássia Barbosa Paiva; SOARES, M. T. N. Currículo escolar e deficiência: contribuições a partir da pesquisa-ação colaborativo-crítica. Cadernos de pesquisa, v. 46, nº 162, São Paulo, p. 1124-1147, out./dez. 2016.

MAGALHÃES, Rita de Cássia Barbosa Paiva; GUERRA, Eliana Costa; SILVA, Renan Antônio da. Estigma e identidade na vida de pessoas com deficiência: "alguma coisa está fora de ordem?". Revista de Estudos Interdisciplinares. V.2, nº 4, jul-ago, 2020.

MARTINS, B. S. Deficiência e Política: vidas subjugadas, narrativas insurgentes. In: MORAES, M.; KASTRUP, V. Exercícios de ver e não ver: arte e pesquisa com pessoas com deficiência visual. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2010.

NORONHA, Ana Paula Porto; PRIMI, Ricardo; ALCHIERI, João Carlos. Parâmetros psicométricos: uma análise de testes psicológicos comercializados no Brasil. Psicol. Cienc. Prof. Brasília, v. 24, n. 4, p. 88-99, dez. 2004 . Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414 98932004000400011&lng=pt&nrm=iso. Acessos em: 11 fev. 2022.

NÓVOA, António M. S. Sampaio da. Palestra: “Por uma formação de professores construída dentro da profissão”. Complexo de Formação de Professora: Escola de Formação de Paulo Freire: 29/08/2018. Canal Rioeducopédia: MultiRio. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=OY3EXGC8q3k. Acesso em: 02 out.2021

OLIVEIRA, A. A. S. Conhecimento escolar e deficiência intelectual: dados da realidade. Curitiba: CVR, 2018.

OMS. Classificação Internacional da Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Tradução A. Leitão. Lisboa: Direção-Geral da Saúde, 2004.

PESSOTTI, I. Os nomes da loucura. São Paulo: Editora 34, 1999.

PIMENTEL, S. C. Adaptações curriculares para estudantes com deficiência intelectual na escola regular: proposta para inclusão ou para segregação? Cadernos de Educação, n. 45, p. 44-50, 2013.

PINO, A. Editorial. Educação e sociedade. Número especial. CEDES, Campinas, n. 71, p. 7-17, 2000.

SANTOS, Daísy Cléia Oliveira dos. Potenciais dificuldades e facilidades na educação de alunos com deficiência intelectual. Educação e Pesquisa [online]. 2012, v. 38, n. 4 [Acesso em: 14 abr. 2022], p. 935-948. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022012000400010. Epub 26 Nov 2012. ISSN 1678-4634. https://doi.org/10.1590/S1517-97022012000400010.

SANTOS, R. A; MAGALHÃES, R. C. B. P. Vozes de Estudantes com Deficiência Intelectual: construção identitária e estigma. Campos dos Goytacazes: Brasil Multicultural, 2019.

SILVA, Andrialex. Práticas pedagógicas na alfabetização da criança com deficiência intelectual. Dissertação de Mestrado. 186f. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal- RN, 2020.

SILVA, Andrialex William da; MAGALHÃES, R. C. B. P; SILVA. Alfaincluir: caminhos pedagógicos para a alfabetização da criança com deficiência intelectual - Ebook. UFRN/PPGE, 2022.

SILVA, A. W; MAGALHÃES, R. de C. B. P. Alfaincluir: caminhos pedagógicos para a alfabetização da criança com deficiência intelectual. Campos: Ed. Encontrografia, 2022. Disponível em https://inclui.org/publicacoes/

SILVA, L. A; TURECK, L. T. Z; ZANETTI, P. S. Vigotski e os fundamentos da defectologia. Anais da XIV Jornada do HISTEDBR: Pedagogia Histórico-Crítica, Educação e Revolução: 100 anos da Revolução Russa. Foz do Iguaçu: UNIOESTE, 2017.

SOUZA, V. L. T.; ANDRADA, P. C. Contribuições de Vigotski para a compreensão do psiquismo. Estudos de Psicologia, v. 30, p. 355-365, 2013.

TEIXEIRA, D. S.; BARRETO, D. A. B.; NUNES, C. P. Educação especial e formação docente: alunos com deficiência intelectual e atendimento educacional especializado. HOLOS, v. 2, p. 1-19, 2021.

TEIXEIRA, R. A. G. Educação do anormal a partir dos testes de inteligência. História da Educação, v. 23, 2019.

VELTRONE, A. A.; MENDES, E. G. Impacto da mudança de nomenclatura de deficiência mental para deficiência intelectual. Educação em perspectiva, v. 3, n. 2, 2012.

VYGOTYSKY, Lev Semionovich. Pensamento e linguagem. Tradução de Nélson Jahr Garcia. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

VYGOTYSKY, Lev Semionovich. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VYGOTYSKY, Lev Semionovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Tradução de José Cipolla Neto. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

VYGOTYSKY, Lev Semionovich. Obras escogidas V: Fundamentos de defectologia. Tradução Julio Guilhermo Blank. Madrid: Visor, 1997.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: ARTMED, 1998.

Downloads

Publicado

2023-12-31

Como Citar

NASCIMENTO, H.; MAGALHÃES, R. de C. B. P. . Deficiência intelectual e prática docente: reflexões teórico-práticas. Revista Educare (Online), [S. l.], v. 9, p. 1–41, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/educare/article/view/66822. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

RETOS Y DESAFIOS PARA UNA EDUCACIÓN INCLUSIVA