Zoneamento agroecossistêmico e social: uma comprenssão sistêmica sobre a comunidade Apiques, assentamento Maceió, Itapipoca-CE

Autores

  • Diana Mendes Cajado Doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA/Universidade Federal do Ceará
  • Fabio Maia Sobral Professor do Departamento de Teoria Econômica/ Universidade Federal do Ceará
  • Antônio Jeovah de Andrade Meireles Professor do Departamento de Geografia/ Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2017v11n1.37841

Resumo

Atendendo aos princípios da abordagem sistêmica, o zoneamento caracteriza-se como uma ferramenta que permite compreender como os espaços são e estão organizados a partir da delimitação de alguns critérios norteadores. Assim, o artigo ora apresentado traz como principal objetivo compreender, através do Zoneamento Agroecossistêmico e Social, como as atividades produtivas e formas de sociabilidade configuram a organização do espaço na comunidade Apiques, localizada no Assentamento Maceió, município de Itapipoca-CE. Para tanto, intenciona-as identificar quais são as práticas produtivas e de interações sociais ocorridas na comunidade, assim como refletir sobre os processos que amalgamam o modo de vida dos sujeitos com a natureza. Os dados apresentados são recorte de uma pesquisa de mestrado que utilizou como principal metodologia a Análise Diagnóstico de Sistemas Agrário (ADSA) que para efeito deste artigo, trouxe os resultados provenientes das etapas da ADSA, Leitura de Paisagem e Caminhada Transversal. Como resultados foram identificadas quatro zonas: Região de dunas, espaço de lazer e observação da paisagem local; Zona litorânea, espaço construído a partir da reciprocidade; Espaço de plantio de coqueiros e seus múltiplos significados e Zona de uso social, quintais produtivos e partilha de saberes. Deste modo, Zoneamento Agroecossistêmico e Social e as vozes anunciadas dos sujeitos, demonstram que o espaço rural se desenha e redesenha a partir da pluralidade destes, na perspectiva da construção de um território pluridentitário, que se reafirma e se justifica na relação com os recursos naturais e seus ciclos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-03-30

Como Citar

CAJADO, D. M.; SOBRAL, F. M.; MEIRELES, A. J. de A. Zoneamento agroecossistêmico e social: uma comprenssão sistêmica sobre a comunidade Apiques, assentamento Maceió, Itapipoca-CE. Gaia Scientia, [S. l.], v. 11, n. 1, 2017. DOI: 10.22478/ufpb.1981-1268.2017v11n1.37841. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/37841. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)