Mercados municipais: olhares sobre cultura e territorialidade em diferentes regiões do Brasil

Autores

  • Roberta Giraldi Romano Universidade Regional de Blumenau
  • Andréa Freire de Carvalho Universidade Federal de Sergipe
  • Roberta Maria de Moura Sousa Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Maria José Nascimento Soares

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2020v14n4.52758

Resumo

Mercados municipais têm sua origem relacionada às feiras e a necessidade de regular estas atividades. Sua função primária é o abastecimento, mas possuem importância histórica, econômica, política, cultural, social, ambiental, retratam a cotidianidade de um determinado local e estão sujeitos às transformações vivenciadas pela sociedade. Reconhece-se que há potencialidades nestes arranjos socioprodutivos de base territorial que podem conduzir a um desenvolvimento territorial sustentável, por isso, se faz relevante identificar em que se assemelham os mercados municipais de Aracaju, Belém e Curitiba, analisando-os enquanto arranjos socioprodutivos de base territorial na perspectiva da territorialidade e da cultura, objetivo deste artigo. Para isso, foi realizada uma pesquisa exploratória, utilizando a revisão da literatura, pesquisa documental e visitas técnicas como pilares de desenvolvimento. Conclui-se que os mercados de Aracaju, Belém e Curitiba são complexos de mercados, ou seja, um somatório de arranjos com funções e públicos distintos, podendo incorporar feiras. Geram meios de subsistência, relações de identidade, afeto e participação; reconhecem os símbolos dados e os transformam, (re)territorializando-os e manifestam a cultura – ora local, ora globalizada – em particulares nuances.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Giraldi Romano, Universidade Regional de Blumenau

Doutora e Mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná (2018), graduada em Engenharia Ambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2011). Possui estágio pós-doutoral em Ecossocioeconomia, pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2019), com foco em ecogastronomia e consumo consciente (bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). No momento em estágio pós-doutoral em Desenvolvimento Regional, pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Regional de Blumenau, com pesquisa sobre cadeias produtivas sustentáveis no setor cervejeiro (bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Possui formação em Auditoria Ambiental e em Realidade Climática. É pesquisadora dos grupos de pesquisa "Núcleo de Ecossocioeconomia (NEcos)" e "Núcleo de Políticas Públicas".Possui interesse nas temáticas que envolvem cidade, alimentação e meio ambiente.

Andréa Freire de Carvalho, Universidade Federal de Sergipe

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Sergipe (2010); mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal de Sergipe (2013) e doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pelo Program de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Rede PRODEMA (2018) e, atualmente, esta desenvolvendo atividades como estudante de psicologia pela Universidade Federal de Sergipe. Tem experiência na área de Ciências Ambientais, com ênfase em Desenvolvimento e meio ambiente em assentamentos e zonas rurais. Trabalha com questões de gênero e meio ambiente; gênero e Desenvolvimento; discussões sobre sustentabilidades e suas interfaces. Gênero e educação; educação do campo e educação no campo; desenvolvimento socioambiental em assentamentos rurais, gênero e desenvolvimento rural e desenvolvimento socioambiental; gênero e agricultura familiar, desenvolvimento socioambiental e discussões sobre sustentabilidades. Ecossocioeconomia e Desenvolvimento Sustentável. Em 2018 começou a participar do Projeto CERES: conexões entre estudos regionais em perspectiva socioambiental, em parceria com a Universidade Federal de Sergipe; Universidade Regional de Blumenau - Santa Catarina e PUC - Paraná, Edital CAPES/FAPITEC, No. 10/216, proposto pelo Prof. Dr. Roberto Rodrigues de Souza, líder do grupo.de Pesquisa em Biotecnologia e Meio Ambiente (GPBIOMA). . Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Formação Interdisciplinar e Meio Ambiente (GPFIMA), liderada pela professora Dra. Maria José Nascimento Soares e do SEMINALIS - Grupo de Pesquisa em Tecnologias intelectuais e Aprendizagens Contemporâneas, liderada pelo professor Dr. Antônio Vital Menezes de Souza. Consultora Ad hoc FAPITEC/SE. https://orcid.org/0000-0002-2220-4122 ANDRÉA FREIRE DE CARVALHO Researcher ID is: G-9431-2018; http://lattes.cnpq.br/1516544377954021.

Roberta Maria de Moura Sousa, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doutora em Ciências do Desenvolvimento Socioambiental pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos - NAEA da Universidade Federal do Pará - UFPA. É Mestre em Ciências Florestais e Ambientais pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM na área de concentração Gestão Ambiental e Áreas Protegidas. E Bacharel em Turismo pelo Instituto Esperança de Ensino Superior - IESPES. É professora e pesquisadora visitante da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), no Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública . Integrou o grupo de pesquisa de Ecossocioeconomia Urbana: arranjos socioprodutivos e autogestão comunitárias visando o desenvolvimento territorial sustentável da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC). Tem experiência na área de Pesquisa e Docência, atuando na linha de pesquisa: Ecossocioeconomia, Economia Criativa, Planejamento e Gestão do Turismo, Turismo de Base Comunitária, Ecoturismo, Populações Tradicionais, Políticas Públicas, Lazer e Recreação. Participou durante quatro anos (2002 à 2006) do Projeto Interdisciplinar (PI) do Instituto Esperança de Ensino Superior - IESPES na Comunidade Boa Esperança do município de Santarém-PA.

Maria José Nascimento Soares

Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal de Sergipe (1991), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (1996) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2006). Atualmente é professora associado da Universidade Federal de Sergipe. Tem experiência na área de formação de profissionais na Educação básica e no ensino Superior, com ênfase em Didática, Métodos e Técnicas de Ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: educação e sustentabilidade, meio ambiente e interdisciplinaridade, educação ambiental, prática pedagógica, educação escolar e não escolar, formação de profissionais na abordagem interdisciplinar no âmbito das Ciências Ambientais. Coordena o Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe e atua na assessoria da equipe multidisciplinar dos cursos a distância da UFS.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

ROBERTA GIRALDI ROMANO; ANDRÉA FREIRE DE CARVALHO; ROBERTA MARIA DE MOURA SOUSA; MARIA JOSÉ NASCIMENTO SOARES. Mercados municipais: olhares sobre cultura e territorialidade em diferentes regiões do Brasil. Gaia Scientia, [S. l.], v. 14, n. 4, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1981-1268.2020v14n4.52758. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/52758. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Ciências Ambientais