Produção de placas cimentícias utilizando cinza do bagaço da cana-de-açúcar aliado ao poliestireno expandido

Autores

  • Arnaldo Alberto de Moraes Filho Universidade Cesumar / 1Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Limpas, Universidade Cesumar - Unicesumar, Av. Guedner, 1610, Jardim Aclimação, CEP 87.050-900, Maringá - PR. https://orcid.org/0000-0001-9288-8462
  • Emerson Schwingel Ribeiro Universidade Federal do Rio de Janeiro / 2Instituto de Química, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, CT, Bloco A, Cidade Universitária - Ilha do Fundão, CEP 21941‑909, Rio de Janeiro - RJ. https://orcid.org/0000-0001-8134-0274
  • José Eduardo Gonçalves Universidade Cesumar - Unicesumar https://orcid.org/0000-0002-2505-0536
  • Nelson Nunes Tenório Junior Universidade Cesumar / 3Programa de Pós-Graduação em Gestão do Conhecimento das Organizações, Universidade Cesumar - Unicesumar, Av. Guedner, 1610, Jardim Aclimação, CEP 87.050-900, Maringá - PR. https://orcid.org/0000-0002-7339-013X
  • Luciana Cristina Soto Herek Rezende Universidade Cesumar / Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Limpas, Universidade Cesumar - Unicesumar, Av. Guedner, 1610, Jardim Aclimação, CEP 87.050-900, Maringá - PR. https://orcid.org/0000-0001-9677-4139

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2021v15n1.57154

Resumo

A construção civil é considerada como um grande produtor de resíduos sólidos urbanos, uma forma de mitigar este problema é o investimento em sistemas construtivos modulares, dando espaço para modelos enxutos e sustentáveis. Este trabalho avaliou o potencial da cinza do bagaço da cana-de-açúcar (CBC) como compósitos, aliado a inclusão do poliestireno expandido (EPS) na produção de placa cimentícia aplicada a construção civil. Para substituição parcial do cimento Portland (CP) foi realizada a caracterização química da CBC por fluorescência e difração de raios - X e na sua produção utilizou-se uma concentração entre 6,8 % e 25,5% de CBC. Na placa cimentícia foram realizados testes de resistência à tração na flexão, absorção de água e permeabilidade de acordo com as diretrizes brasileiras. Os resultados demonstraram a utilização da CBC em substituição parcial do CP na proporção de 6,8 % e 13,6 % com ausência de areia fina e 17% com acréscimo de areia fina, permitindo sua utilização em uma tecnologia construtiva limpa, modular e a seco. Conclui-se, portanto, que, o resíduo industrial de CBC pode ser utilizado em substituição do CP e que, a inclusão do EPS na formulação do produto estudado aumenta seu volume e diminui sua densidade aparente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arnaldo Alberto de Moraes Filho, Universidade Cesumar / 1Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Limpas, Universidade Cesumar - Unicesumar, Av. Guedner, 1610, Jardim Aclimação, CEP 87.050-900, Maringá - PR.

Mestrado em Tecnologias Limpas pelo Centro Universitário de Maringá (CESUMAR), Graduado em Engenharia Civil pelo Centro Universitário de Maringá (CESUMAR); Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Filadélfia de Londrina (UNIFIL), Pós Graduado em Auditoria e Pericia Fiscal pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), engenheiro civil atuando na área de loteamentos, infra estrutura, projetos e construção habitacional na empresa TIMBERTECH CONSTRUTORA EIRELI LTDA.

Emerson Schwingel Ribeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro / 2Instituto de Química, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, CT, Bloco A, Cidade Universitária - Ilha do Fundão, CEP 21941‑909, Rio de Janeiro - RJ.

Natural de Campo Mourão - PR, concluiu o seu Doutorado e o Mestrado em Química Inorgânica pelo Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP; e a sua Graduação em Química Bacharelado pelo Departamento de Química da Universidade Estadual de Maringá - UEM. Fez Pós-Doutorado no Instituto de Química da UNICAMP e foi pesquisador visitante do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (Campinas-SP).......... Coordena o Grupo LaDANM: Laboratório de Desenvolvimento e Aplicações de Novos Materiais (Registrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do Brasil do CNPq). O Grupo LaDANM atua basicamente na área de Química Inorgânica, com síntese e caracterização de novos materiais, como: (1) Sílica gel organofuncionalizada. (2) Óxidos mistos obtidos pelo processo sol-gel. (3) Nanomateriais à base de óxidos, etc.; e com a rede multidisciplinar de pesquisa, os materiais desenvolvidos são aplicados em diferentes áreas: (A) Eletroquímica e eletroanálise; (B) Materiais sorventes para íons tóxicos e poluentes emergentes; (C) Fotodegradação e terapia fotodinâmica, (D) Pré-tratamentos no sistema de revestimentos, etc.......... Tem atuado como coordenador e/ou integrante de projetos de pesquisa financiados por diversos órgãos de fomento (CNPq, CAPES, FAPERJ, FAPESP, FINEP e Fundação Araucária do Paraná); como revisor de projetos (CNPq, CAPES, FAPERJ, FACEPE e AGENCIA) e de dezenas de periódicos científicos.......... Publicou mais de 50 artigos em periódicos especializados com seletiva política editorial, colaborando com mais de 120 coautores. Apresenta Fator h 19 no Web of Science (ISI) e no Scopus........ Em nível de Pós-Graduação, orientou e/ou coorientou 20 alunos e participou mais de 100 bancas de mestrado e/ou doutorado.......... É bolsista de Produtividade em Pesquisa nível 2 pelo CNPq, foi Jovem Cientista do Nosso Estado pela FAPERJ; e, é MEMBRO do COMITÊ GESTOR do Instituto Nacional de Tecnologias Alternativas para Detecção, Avaliação Toxicológica e Remoção de Micropoluentes e Radioativos - INCT-DATREM (http://inct-datrem.iq.unesp.br/), coordenado pela Profa. Maria Valnice Boldrin Zanoni do Instituto de Química da Unesp de Araraquara......... Ingressou na UFRJ em 2007 como PROFESSOR ADJUNTO 1 (Classe C1) e atualmente é PROFESSOR ASSOCIADO 3 (Classe D3)

José Eduardo Gonçalves, Universidade Cesumar - Unicesumar

Químico pela Universidade Estadual de Maringá (1992), mestrado em Química pela Universidade Estadual de Maringá (1995) e doutorado em Química pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Atualmente é professor do Centro Universitário de Maringá, , membro do corpo docente permanente e do colegiado do Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Limpas e do Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Segurança Alimentar, além de ser bolsista Produtividade do ICETI - Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação desde setembro de 2011. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química Analítica e Biotecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: controle de qualidade, identificação de substâncias bioativas, cromatografia gasosa e espectrometria de massa e na área de Ciências Ambientais. Membro do Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Basis) do Instituto Nacional de Estudos (SINAES/INEP/MEC), estando credenciado como Avaliador Institucional e de Cursos de Graduação do SINAES/CAPES.Bolsista Produtividade em Pesquisa - PQ ( CNPq Nº 09/2018) na área de Ciências Ambientais.

Nelson Nunes Tenório Junior, Universidade Cesumar / 3Programa de Pós-Graduação em Gestão do Conhecimento das Organizações, Universidade Cesumar - Unicesumar, Av. Guedner, 1610, Jardim Aclimação, CEP 87.050-900, Maringá - PR.

Doutor em ciência da computação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul com pós-doutorado IT University de Copenhague (2016), na Dinamarca e pela Universidade de Copenhague (2017 e 2018 como pesquisador visitante). Pesquisador visitante na Université de technologie de Troyes (2018). Mestre em ciências da computação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Bacharel em Sistemas de Informação e Tecnólogo em Processamento de Dados pela UniCesumar. Coordenou os cursos de pós-graduação de Engenharia de Produção, MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios e MBA em Qualidade e Produtividade na UniCesumar, onde implantou e coordenou o MBA em Gerenciamento de Projetos. Coordenou os cursos de graduação de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) e Redes de Computadores e, ainda, implantou e coordenou o curso de graduação em Engenharia de Produção da UniCesumar. Foi professor nos cursos presenciais de graduação em ADS, Redes de Computadores, Engenharia de Software e Engenharia Mecatrônica, bem como no curso de ADS do ensino a distância da UniCesumar, onde também foi membro do Comitê de Ética e Pesquisa. Foi membro do comitê gestor da Incubadora Tecnológica de Maringá. Foi elaborador de itens do ENADE de 2011 para o curso de ADS. Tem experiência em ciência da computação, com ênfase nas áreas de banco de dados, engenharia de software e processos de negócio. Os temas atuais de pesquisas são: as influências das emoções positivas no compartilhamento do conhecimento (GC); ambientes informatizados para a GC; representação do conhecimento e modelos de GC, todos eles voltados para a indústria de software. Atualmente é: pesquisador e bolsista produtividade do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICETI); docente do Programa de Mestrado em Gestão do Conhecimento da UniCesumar.; avaliador de cursos do MEC; elaborador de itens de provas para concursos federais, estaduais e municipais pelo Instituto AOCP.; e pesquisador visitante na Universidade de Copenhague na Dinamarca.

Luciana Cristina Soto Herek Rezende, Universidade Cesumar / Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Limpas, Universidade Cesumar - Unicesumar, Av. Guedner, 1610, Jardim Aclimação, CEP 87.050-900, Maringá - PR.

Graduada em Química pela Universidade Estadual de Maringá (2000) com doutorado em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Maringá (2009) na área de Desenvolvimento de Processos em Gestão, Controle e Preservação Ambiental. Possui pós doutorado em Engenharia Mecânica (2017) na área de Materiais.Na área de pesquisa atua em Gestão Ambiental, Gerenciamento e Tratamento de Resíduos Sólidos, com utilização de resíduos sólidos na fabricação materiais modificados e Gerenciamento e Tratamento de Água e Efluentes. Atualmente é professora da Universidade Cesumar (UNICESUMAR) e faz parte do corpo docente do Programa de Pós Graduação em Tecnologias Limpas. Atua como pesquisadora do Instituto Cesumar de Ciência,Tecnologia e Inovação.

Downloads

Publicado

2021-04-15 — Atualizado em 2021-05-03

Versões

Como Citar

MORAES FILHO, A. A. de .; RIBEIRO, E. S. .; GONÇALVES, J. E.; TENÓRIO JUNIOR, N. N.; LUCIANA CRISTINA SOTO HEREK REZENDE. Produção de placas cimentícias utilizando cinza do bagaço da cana-de-açúcar aliado ao poliestireno expandido . Gaia Scientia, [S. l.], v. 15, n. 1, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1981-1268.2021v15n1.57154. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/57154. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Ciências Ambientais